terça-feira, 8 de junho de 2010

Parem de Ferir à rocha!

Texto Base: Números 20:2,13
“(...) Falai à Rocha e dará a sua água.”

Por três vezes lemos nas Escrituras que Israel contendeu por falta de água, tanto em Êxodo 15:22, quanto em Êxodo 17:1 e agora na passagem de Números20:2. Nas duas primeiras citações, Deus tratou de forma diferente com o povo, ordenando a Moisés que ferisse a Rocha para que dela brotasse água. Agora, após cerca de 38 anos peregrinando no deserto, Deus anunciava que o povo precisava de santificação!

Precisamos tomar cuidado com as necessidades urgentes que sobrevém sobre nós; podemos estar passando por “desertos”, mas se estivermos na Presença de Deus, tudo o mais acontecerá naturalmente. É Deus quem dirige nossa vida e tem o melhor para cada um de nós.

O povo se viu debaixo de uma grande necessidade, a escassez de água, e chegou ao ponto de dizer que Deus os havia tirado do Egito para morrerem no deserto, duvidando da promessa da terra deleitosa que mana leite e mel que Deus havia prometido para eles. Conosco não é diferente, quantas vezes em meio a nossas lutas, nos esquecemos da fidelidade de Deus para nós?

Através do texto de Números podemos aprender alguns princípios para não cairmos no mesmo erro praticado pelo povo.

1º Princípio: Precisamos buscar mais a Deus – Muito embora não saibamos as circunstâncias envolvidas na nossa situação, precisamos saber ao menos aonde vamos!
É comum em nossa vida de correria buscar tantas coisas alheias e nos esquecermos da principal delas, ou simplesmente, deixar como última opção de nossa lista de prioridades: Buscar a presença de Deus, o que é feito quando lemos as Escrituras, oramos e jejuamos. Precisamos voltar a prática das primeiras Obras! “Buscai primeiro o Reino de Deus e a Sua Justiça, e todas as demais coisas vos serão acrescentadas”.

2º Princípio: Precisamos ter Visão – Assim que Moisés e Arão buscaram ao Senhor, a glória Dele apareceu! É hora de termos uma experiência com Deus para que a próxima geração possa dizer que viu a glória de Deus em nós.
Servimos ao mesmo Deus que abriu o mar Vermelho e derrubou as muralhas de Jericó; Ele faz milagres continuamente, pois é o mesmo ontem, hoje e será eternamente!

3º Princípio: Precisamos ouvir a Voz de Deus - Deus falou com Moisés! O que é precisamos fazer? Quando ouvimos a Voz de Deus, Ele nos dá estratégias para guerrearmos, conforme o Salmo 140:7. Um cristão não é guiado pelo que ele acha que deve fazer ou aonde ir, mas pela Voz de Deus e a Sua Palavra!
Deus hoje ainda tem um povo santo que não se curvou perante o “bezerro de ouro” e O teme!

4º. Princípio: Precisamos “Falar a Rocha” – Em outras palavras, isso implica obediência. Deus está atrás de pessoas cujo coração está pronto a Obedecer, conforme está escrito: “Melhor é Obedecer do que Sacrificar”. Jesus já foi ferido na Cruz por nós e pelas Suas feridas nós fomos curados! Hoje tudo o que Deus pede é obediência, algo tão simples para que conquistemos tudo o que Ele nos prometeu.

Notemos agora que Moisés num ato de orgulho e incredulidade feriu a Rocha duas vezes e ainda assim, a água brotou. Há muitas coisas que vemos ao nosso redor que parecem que tudo vai muito bem, mas Deus lá do Alto Trono já rejeitou! Com Moisés e o povo que com ele andava no deserto, o fim foi à morte, exceto para Josué e Calebe.

Conosco pequenas omissões ao que é certo ou fazer o que é errado, como a segunda olhada, a não entrega dos dízimos no tempo certo e ainda a manipulação de fatos para aparentarmos espirituais; fazem com que Deus se desagrade de nós – Ai daqueles que parecem ser, mas não são – Que o Senhor não se desagrade de nós, pois nada que está oculto, ficará oculto. Deus chamará a juízo todo mundo, dos menores aos maiores lideres.

Ferimos a Rocha quando não respeitamos a autoridade espiritual que Deus designou sobre nós e enganamos o nosso próximo. Precisamos estar ancorados na Rocha, pedir perdão a Deus pelas vezes que O injuriamos por invejas, negativismo e divisões.

Que hoje possamos pedir ao Espírito Santo que nos ajude a não ferir a rocha. Cada um de nós dará conta do que Deus colocou em nossas mãos! Deus te abençoe!

(Sermão pregado dia 06/06/2010 na Igreja do Nazareno Central, pelo Pr. Jocymar Fonseca, anotado por Lucas Tognolo)
(Jocymar B. Fonseca é formado pelo Seminário Nazareno em 1994 e faz parte da Equipe Pastoral da Igreja do Nazareno Central em Campinas desde 1995 na qual atua como pastor responsável pelo ministério de louvor e adoração e é líder do ministério Celebrai.)





segunda-feira, 7 de junho de 2010

Principios para uma Vida Melhor

Texto Base: Josué 3:1,5

Há sempre um momento na nossa vida no qual precisamos definir algo novo para nós. É interessante notar que a Bíblia é a Palavra revelada de Deus para nossas vidas, nEla contém a vontade de Deus para cada um; é a Voz de Deus que nos dá a direção certa em meio a situações difíceis.

Josué tinha como missão levar o povo ao ritual da passagem, algo novo, para que pudessem usufruir das promessas de Deus feitas por meio de Moisés. O povo, por desobediência e idolatria, não pode chegar a Terra Prometida e, coube a Josué instruir aos descendentes alguns princípios a fim de que não cometessem os mesmos erros dos seus antecessores e chegassem ao lugar onde Deus queria levá-los.

1º. Princípio – Todos nós precisamos de guias
A Arca do Senhor representava a Presença de Deus no meio do povo; é Ele quem mostra o caminho! Nossos sonhos, planos, questões familiares e de trabalho; tudo deve ser feito segundo a direção que Deus aponta para nós. Muitas vezes temos o hábito de querer partir do ponto A para o ponto B por nossa própria decisão, sem antes consultar ao Senhor e daí surgem lutas, pela precipitação de querer fazer tudo da nossa maneira.
Precisamos lembrar, conforme o Salmo 23, que Deus vai à nossa frente e que os caminhos Dele são perfeitos e nos leva a perfeição!

2º. Princípio – Seguir a Deus
Quando virmos a Presença de Deus, precisamos também ter uma atitude ativa; mais que um conselho, significa uma ordem. Seguir a Deus é o grande segredo para cruzar o rio e desfrutar de uma vida plena com Ele, para isso, faz-se necessário manter os olhos fixos em quem nos guia, se não, perdemos a referência para onde ir.
Jesus é o guia perfeito que sabe o caminho para uma vida plena e deseja nos pegar pela mão para que o sigamos!

3º. Princípio – Santificação
Um caminho de santidade sempre nos levará aonde Deus quer nos levar. O caminho para a maravilha passa pela santificação: uma vida pura e reta diante do Senhor Jesus. Do mesmo modo quando um GPS acusa um erro de trajeto em um veículo e recalcula a rota correta, precisamos concertar tudo em nossas vidas que está andando na contramão da vontade de Deus, de modo contrário, o resultado será catastrófico! Se continuarmos no pecado, falharemos. Precisamos buscar a Deus porque só Ele tem o rumo certo para a nossa vida.

Neste dia, Deus deseja nos dá direção para questões de nossa vida que precisam ser ajustadas. Para isso, precisamos buscá-Lo, segui-Lo e santificarmos nossas vidas. Um Deus santo fala ao coração de quem é santo e faz maravilhas no meio do seu povo.

Que Deus te abençoe!

(Sermão pregado dia 06/06/2010 na Igreja do Nazareno Central de Campinas pelo Pr. Flávio Valvassoura, anotado por Lucas Tognolo)

(Fávio R. Valvassoura é pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, formado pelo Seminário Teológico Nazareno e também pelo Beeson Institute do Asbury Theological Seminary, EUA, com especialização em Pregação Bíblica e Liderança Eclesiástica, é coordenador nacional e sul-americano de treinamento e capacitação de líderes. Membro da Junta Geral. Doutor em Ministério pelo Asbury Theological Seminary, Wilmore, KY,EUA. Desenvolveu ministério como pastor na Igreja do Nazareno Ebenézer – Campinas, SP e na Igreja do Nazareno Brasileira – Nova York, EUA. Atua na equipe pastoral da Igreja do Nazareno Central desde 2005.)

quinta-feira, 27 de maio de 2010


Texto Base: I Reis 19:1,6

Será que você já enfrentou dias difíceis, daqueles que tudo parecia ir muito bem até que uma notícia vem e muda o rumo das coisas? Se a resposta foi positiva, saiba que você não é o único, com Elias também houve um momento no qual ele sentiu o mesmo sentimento. No momento em que o povo fazia aquilo que desagradava a Deus, Elias foi levantado para restaurar o altar do Senhor – e ele conseguiu derrotar os profetas de Baal, viu fogo cair do céu, orou e a chuva desceu, porém, de repente as coisas mudaram para o lado dele quando uma notícia terrível veio.

Todos nós nascemos em pecado e destituídos estamos da glória de Deus até que um dia ouvimos a Palavra, começamos a fazer o que é certo e restauramos o Altar do Senhor sobre nossas vidas, marcando “um novo tempo” para a nossa caminhada. Porém, uma notícia desastrosa vem sobre nós!

É interessante notar como uma notícia ruim – diagnóstico contrário, divórcio, desemprego, uma mensagem que muda o rumo da nossa vida – tem a capacidade de mudar o rumo da nossa história, fazendo com que nós, muitas vezes, procuramos “cavernas” para nos esconder.

Elias foi um homem sujeito aos mesmos sentimentos que nós, cheio de ânimo e envolvimento com a Obra, porém se abateu diante de algo desastroso e temeu de tal forma que se esqueceu do que Deus já tinha feito, de como Deus tinha se levantado em seu favor contra os profetas de Baal.

O medo tem o poder de paralisar o ser humano; é como um veneno que paralisa a alma e gera pavor dentro de cada um. De acordo com Provérbios 3:25, não precisamos temer o pavor repentino – a morte, a ameaça às nossas famílias.

A atitude de Elias para se salvar mediante o medo que tomara conta dele foi de fugir. Há coisas que não temos coragem de encarar e, na maioria das vezes, o mais fácil é fugir. Elias foge para o deserto, assenta-se em baixo de uma árvore e deseja a própria morte: “Basta, chega, não vale a pena continuar” – sentimentos como esses de murmurações começaram a vir.

Em nossos dias, talvez existam muitos que se encontram como Elias “sentados em baixo de uma árvore”, murmurando e pedindo a Deus que os leve embora – reação normal a todos que se encontram sob uma notícia desagradável!

O que fazer então quando uma noticia que não esperamos, contrária ao que desejamos, chega?

(1) Deitar e Durmir – Há coisas que só se resolvem depois da cabeça estar descansada. Decisões não devem ser tomadas precipitadamente! Foi enquanto Elias dormia que um Anjo do céu veio a ele com uma palavra boa, assim como está escrito: “Aos seus amados, Ele dá enquanto dormem”.

(2) Levantar e Comer – Elias encontrava-se em um quadro de depressão profunda, além do isolamento, desejava se abster do alimento, desejando a própria morte. Nada vai mudar se nós nos isolarmos e fizermos greve de fome, como se o “mundo” tivesse acabado! Somente nós mesmos é que temos a capacidade de decidir nos curvar ou nos fortalecer diante de uma tragédia.

(3) Buscar a Deus – O Deus a quem servimos é o Deus da “segunda chance”, cheio de graça e misericórdia para os que O buscam. Ele vai até a “caverna” onde Elias estava e o visita! Elias, resmungando perante Deus, não via nada positivo, porém Deus lhe trouxe à memória o seu chamado – ainda havia muito a fazer através dele. É tempo de nós recobrarmos o nosso ânimo e lembrarmos de que Deus ainda não terminou a boa obra em nós – Ele quer nos ajudar a prosseguir, mesmo diante das afrontas.

Não somos daqueles que retrocedem, mas dos que avançam, vivemos pela fé e estamos de baixo do sangue do cordeiro E se não vivermos na prática do pecado, o maligno não nos toca! Deus quer fazer hoje um caminho em meio ao deserto e nos ajudar.

(4) Voltar a fazer aquilo que Deus nos chamou para fazer – Não podemos recuar, mas continuar prosseguindo certos de que o final será bem melhor.

Talvez hoje estejamos vivendo em uma caverna, fugindo com medo do que possa nos acontecer. É tempo de sairmos, recomeçar na certeza de que há algo melhor de Deus para nossas vidas! Precisamos voltar ao nosso caminho, lembrando que Deus é Emanuel, conosco nos altos montes e nos profundos vales, e Ele nos ajudará em toda e quaisquer situações!

Deus abençoe a todos.


(Sermão pregado dia 26/05/2009 na “Comunidade da Esperança”, templo do Jubileu, Igreja do Nazareno Central de Campinas pelo Pr. Flávio Valvassoura, anotado por Lucas Tognolo)

(Fávio R. Valvassoura é pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, formado pelo Seminário Teológico Nazareno e também pelo Beeson Institute do Asbury Theological Seminary, EUA, com especialização em Pregação Bíblica e Liderança Eclesiástica, é coordenador nacional e sul-americano de treinamento e capacitação de líderes. Membro da Junta Geral. Doutor em Ministério pelo Asbury Theological Seminary, Wilmore, KY,EUA. Desenvolveu ministério como pastor na Igreja do Nazareno Ebenézer – Campinas, SP e na Igreja do Nazareno Brasileira – Nova York, EUA. Atua na equipe pastoral da Igreja do Nazareno Central desde 2005.)

sábado, 13 de março de 2010

Relacionamento com Deus

Texto Base: Efésios 4:22,24

No texto em análise, Paulo nos fala de uma igreja invisível, aquela que não vemos e contra ela as portas do inferno não prevalecerão. Para estar nela, precisamos estar convictos de nossa salvação e isso é feito mediante uma vida transformada em Jesus.

O pregador Billy Graham disse certa vez: “Assim como eu entrar em uma garagem não me transforma num carro, eu entrar em uma igreja não me transforma num cristão.” Em outras palavras, não é o lugar no qual estamos que faz a diferença, mas o fato de nós vivermos uma vida que agrada a Deus que faz a real diferença, somos desafiados a ter um relacionamento com Deus diariamente – é uma difícil realidade de vida, pois no mundo teremos muitas aflições, mas Deus nos promete bom ânimo frente a todas!

Paulo fala de um processo que deve acontecer na vida de todos para desfrutar de um relacionamento com Deus, a seguir, listamos três passos que podemos aprender com o texto lido:

(1) Precisamos romper com o pecado - “(...) quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem (...)”

Simplesmente paramos de viver uma vida em pecado porque isso desagrada a Deus, não por medo do inferno, o que seria egoísmo, mas por amor Àquele que nos amou primeiro.

De acordo com a passagem de Lucas 9:23, isso é possível mediante uma vida de consagração a Deus, tornando-nos livres de nós mesmos, de modo que as nossas vontades não nos dominam mais.

(2) Precisamos renovar o espírito do entendimento – “e vos renovem no espírito de vosso entendimento”

Precisamos descontruir algo que foi construído em nós para ter uma vida nova diante de Deus, como obreiros aprovados e que maneja bem a Palavra da Verdade. Os nossos juízos de valor são os que definem as nossas escolhas, devem estar na nossa mente, tudo que ouvimos, lemos e alimentamos a nossa vida deve ser algo que agrada a Deus!

(3) Precisamos ser Novas Criaturas – “(...) criado, segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.”

Deus é um Deus de relacionamentos, somente Ele vivendo em nós é que poderemos desenvolver uma vida de santidade. Nossa salvação está pautada em uma vida de relacionamento com Deus – vivência com Ele!

A Salvação é uma conseqüência de alguém que um dia escolheu agradar a Deus rompendo com o pecado, não apenas por medo do que ele poderia trazer, mas por amor, renovando o espírito do entendimento e sendo uma nova criatura em Jesus. Jesus veio para reconstruir aquilo que se perdeu – comunhão com o Pai!

Deus abençoe vocês!

(Pr. Fabrício – sermão ministrado no encontro do Conexão, ministério da JNI-Central, 12/03/10)

quinta-feira, 11 de março de 2010

“Aprendendo as Lições que a Crise trás”


Texto Base: João 4:46,54

O cenário que lemos no texto é de um oficial do rei, alguém que possuía uma posição de destaque na sociedade e talvez uma fé duvidosa em Deus, devido a uma circunstância terrível que abalara a família dele, se viu sem ter para onde correr. Ouvindo falar de que Jesus estava vindo para a Galiléia, foi correndo ao encontro dEle para pedir ajuda. O homem estava aflito e buscava em Jesus ajuda para que pudesse ver um milagre!

Muitas vezes conosco não é diferente, estamos tão céticos que apenas buscamos a Deus quando estamos aflitos a fim de que Ele gere um milagre. Se tivermos fé de que Deus existe e é galardoador dos que O buscam, alcançam a benção e o favor de Deus naturalmente.

Devemos nos lembrar que Deus sempre age da maneira como Ele quer e no tempo que Ele desejar. Às vezes podemos achar que Ele só opera um milagre em certo lugares, mas Deus pode agir onde e na forma como lhe apraz, não importa o horário!

Um detalhe interessante na historia é que quando o homem estava no meio do caminho de volta para Cafarnaum, chegou a noticia que o filho dele havia sido curado – o milagre havia sido liberado! A cura não precisa ser gradual, é quando menos esperamos que ela vem. Basta Deus ver uma pequena fagulha no nosso coração para que Ele abra portas e restaure a nossa vida para que o nome dEle seja glorificado.

Três lições que aprendemos:

(1) Ter fé, mesmo em tempos de crise,
Quando tudo parece desmoronar: doença, falta de emprego ou crise na família; se crermos, Deus está pronto a nos atender. Quando crermos, veremos a glória dEle se manifestar! Acreditemos, ousemos declarar pela fé que mesmo mortos, Deus nos ressuscitará.
(2) A Crise nos traz lições,
A luta não nos deixa no mesmo lugar que ela nos pegou: Ou ela nos santifica mais, ou ela nos destrói mais. O nosso destino está nas mãos de Deus e cada luta serve como passaporte para a vitória que Ele tem para nossas vidas. Os amigos de Daniel apenas passaram pela fornalha, não ficaram por lá, e glorificaram ao Pai.
(3) Devemos Voltar para Casa.
Jesus apenas disse ao oficial do rei que voltasse para a casa dele porque o filho vivia. Alguém que estava acostumado a dar ordens, agora recebe uma palavra de Jesus e a obedeceu.

Não importa se os sonhos, os projetos ou a nossa família está doente. Hoje Deus diz para irmos até nossas casa porque tudo que está morto, agora vive!

Não há limites para Deus agir, seja no hospital, na casa ou no trabalho. Se crermos, veremos a glória dEle! Deus te abençoe.

(Pr. Jocymar Fonseca – sermão ministrado na Igreja do Nazareno Central – 26/01/2010)

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Novo Ano


Texto Base: Hb10:32,39

Começa mais um calendário, nova agenda e novos planos são feitos sob novas expectativas. Nossa vida é feita de estações, sempre está mudando, inclusive nos nossos relacionamentos pessoais – pessoas que eram próximas de nós, agora já são mais distantes e o ciclo continua. O importante é olharmos para o amanhã com nova expectativa de que algo bom irá acontecer!

O texto aos hebreus fala dessa transição de momentos difíceis para dias melhores. No verso trinta e dois, lemos claramente que mesmo sendo cristãos não estamos isentos de passar por lutas e sofrimentos. Em meio aos sofrimentos, temos a vontade natural de acharmos que não daremos certo na vida, sendo muitas vezes, pessimistas! Quando este tipo de pensamento nos vier a mente, precisamos tomar algumas atitudes para não deixar o desânimo tomar conta de nossas vidas.

1. (10:35) – NÃO abandonar a confiança!
Ter confiança é acreditar que as coisas vão dar certo; é como um equilibrista que atravessa um cabo de aço pendurado entre dois prédios de 32 andares usando um monociclo. Confiar é lançar fora todo medo crendo que Deus tem promessas para as nossas vidas e as cumprirá!

2. (10:36) – Precisamos persistir!
Não é uma alternativa, mas sim uma necessidade que temos. Persistir é continuar perseverando mesmo sem ter visto os resultados almejados. Assim como cego bartimeu continuou gritando em alta voz, mesmo quantos todos pediam para que se calasse, e viu o milagre acontecer, precisamos também continuar insistindo até que alcancemos o prêmio. Quem persevera, alcança as promessas do Senhor!

3. (10:36) – Fazer a vontade de Deus!
Os planos de Deus para cada um são diferentes, mas a Sua vontade é Única:
a.Amá-Lo acima de todas as coisas,
b.que tenhamos Jesus como único e suficiente Salvador,
c.que façamos da Bíblia regra de fé e prática (pois ela é lâmpada para os nossos pés) e d. d. que vivamos uma vida de compromisso e santidade (ser separado do mundo e estar perto de Deus).

4. (10:38) – Sem retroceder!
Jamais conseguiremos atravessar a linha de chegada se retrocedermos. Para que não retrocedamos precisamos manter nossos olhos fixos no Autor e Consumador da nossa fé, lembrando que quem põe a mão no arado não é digno de olhar para trás!

Se seguirmos estes quatro conselhos, as bênçãos de Deus virão de forma natural, uma por uma, sobre nossas vidas para honra e glória do nome dEle! Que Deus os abençoe!

(Pr. Flávio Valvassoura – sermão ministrado na Igreja do Nazareno Central de Campinas, segunda, 04/01/2010).