segunda-feira, 18 de agosto de 2008

“Uma Igreja dentro de Uma Igreja”


“A Igreja, na verdade, tinha paz por toda a Judéia, Galiléia e Samaria, edificando-se e caminhando no temor do Senhor e, no conforto do Espírito Santo, crescia em número.”

(Atos 9:31)

Esta é a segunda vez que lemos a palavra “igreja” no livro de Atos. Quando se menciona esta palavra: Igreja – no contexto que a conhecemos, trata-se de dois assuntos: A disciplina, toda vez que teu irmão não te ouvir, leve-o à sinagoga (igreja); e quando Jesus diz a Pedro que sobre aquela condição seria edificada a Sua igreja.

Igreja não é um lugar, mas algo sobrenatural. Dentro da Igreja, há uma igreja invisível, imperceptível, que é a ação do Espírito Santo dentro dela e que, vai muito além das liturgias do culto da Igreja visível. Em Atos 2, lemos sobre a Igreja invisível – uma igreja que não tinha comissão de membros, classe de batismo ou discipulado, liturgias de culto, mas tinha a ação sobrenatural do Espírito Santo dentro dela. Quando veio a primeira perseguição, todos se dispersaram, menos os apóstolos que realizavam sinais, prodígios e milagres no meio do povo; enquanto isso, as estruturas da terra eram abaladas.

Quem é a Igreja do Deus Vivo? No meio do povo (todos nós que O adoramos) está a Igreja de Deus. Uma Igreja onde há temor, evangelismo e generosidade.

Que características a Igreja visível precisa ter para que a outra (Igreja invisível) possa funcionar?

1ª. Característica – A Igreja tinha Paz - A igreja precisa ser uma comunidade pacífica! Ela tem diversidade de membros e funções e precisa-se que todos caminhem juntos, em apoio e encorajamento mútuos. Ter paz as vezes é exortar e corrigir, mas precisamos ter paz!

2ª. Característica – A Igreja precisa ser edificada – Nós precisamos construir para esta igreja invisível onde Deus realiza milagres. Nós não vemos esta igreja, mas Deus está vendo e nela opera sinais, milagres e prodígios.

3ª. Característica – A Igreja temia ao Senhor - Há poucos sinais dentro da igreja visível porque não há temor do Senhor!

4ª. Característica – A Igreja tinha Revelação do Senhor – No meio de multidões de palavras há uma específica que Deus fala aos corações de uma forma bem pessoal. Diante de um ato solene, Deus pode interrompê-lo para falar conosco.

5ª. Característica – A Igreja tinha Conforto do Espírito Santo – O Espírito Santo também é chamado de Consolador – aquele que nos conforta. Às vezes damos porcos para Ele, mas quando damos liberdade para Ele agir, o sobrenatural acontece em nossas vidas.

6ª. Característica – A Igreja crescia – A Igreja não é lugar de mortos, mas de vivos! Quando nós procuramos a igreja visível, Deus prepara a Igreja invisível. Precisamos crer que enquanto pregamos, Deus opera sinais (que seguirão aqueles que crerem) e prodígios (um sinal que vai além da nossa imaginação).

E as Escrituras nos dizem que contra esta igreja (sobrenatural, invisível) as portas do inferno não prevalecerão! Nossa oração é para que Deus abra os nossos olhos para que vejamos que mais são os que estão conosco do que os que estão contra nós. Quando sairmos da visível para começarmos a viver sob a ação sobrenatural do Espírito, milagres nos seguirão. Em Atos, todo dia havia uma conversão; conosco não será diferente se estivermos na igreja visível! Deus te abençoe.

(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 17/08/2008, domingo pela manhã, pelo Pr. L Aguiar Valvassoura, na Igreja do Nazareno Central de Campinas, anotado por Lucas Tognolo)

(L. Aguiar Valvassoura, Pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, SP, é preletor e conferencista em vários congressos e seminários nacionais e internacionais, bacharel em teologia pela Faculdade Teológica Nazarena de Campinas – Brasil, doutor Honoris Causa pela Universidade Nazarena de Point Loma – EUA, é criador do Colégio Jaime Kratz e da Associação Nazarena Assistencial que atende hoje cerca de 310 crianças e é fundador do Ministério Mãos Estendidas)