sexta-feira, 6 de novembro de 2009

“Fogo de Homens ou Fogo de Deus?”


Texto Base: Lucas 22:54,62

Tudo o que não é ESSÊNCIA é destruído ou precisa passar por um processo de provação para que se torne essencial. Esse processo é feito pelo Fogo! No entanto, devemos nos atentar que o fogo pode vir de duas fontes distintas: de Deus ou pelos homens. Por qual dessas formas estamos sendo provados?

O cenário lido no texto de Lucas trata do momento que antecedia a morte de Cristo, situação que já havia sido profetizado pelo profeta Isaias. Jesus estava na casa do sumo-sacerdote onde fora ferido na alma, através de um cuspe no rosto, e humilhado profundamente.

Havia um homem chamado Pedro, impetuoso, cheio de coragem e expectativas, pregava constantemente que por Cristo daria até mesmo a sua vida. Porém, diante da morte de Jesus, O negou três vezes! Pedro andou constantemente com o Mestre e participou da inauguração do cristianismo, mas negou o Cristo três vezes.

Uma característica da vida de Pedro era que até aquele momento, negação de Jesus, ele seguia o Mestre à distância. O distanciamento da presença de Deus é a principal causa do esfriamento do coração humano; é necessário manter o fogo de Deus sempre aceso na alma do homem. Se esse fogo for aceso por homens, perde-se aquele que outrora existia no coração do homem e o processo inverso acontece: prevalência da carne contra o espírito.

Este “fogo” quando aceso por homens tem o poder de nos fazer negar àquele quem conhecemos. Notem bem que Deus usou uma criada, mulher sem valor algum para aquela época, para reconhecer Pedro como sendo alguém que estava com Jesus, mas o distanciamento de Deus fez com ele O negasse pela primeira vez. Precisamos tomar cuidado sempre, pois os olhos do mundo estão voltado para nossas vidas e anseiam por ver a diferença que o real fogo, aceso por Deus, produz em nós.

Além disso, o “fogo” que é aceso por homens, consome toda a nossa coragem e muitas vezes o nosso primeiro amor. Após negar a Jesus pela primeira vez, Pedro insistiu mais duas vezes que não O conhecia! O “fogo” de homens destrói a nossa memória e consome a Palavra de Deus que habita em nossos corações, ou seja, tudo aquilo que nos dá esperança. Somente após a terceira vez, Pedro lembrou-se das palavras de Jesus acerca do que tinha acabado de acontecer: “Antes que o galo cante, tu me negarás três vezes”.

Por acaso estamos nós entre os que se encontram atraídos por “fogo aceso por homens”, correndo o risco de negar a Jesus também? Uma coisa é importante que saibamos hoje: mesmo após Pedro negar a Jesus, este olha para ele e continua amando-o e olhando-o com graça e misericórdia!

Após a sua ressurreição, Jesus prepara todo um cenário para alcançar de volta o coração de Pedro, alguém que se encontrava amargurado e que tinha se esquecido do seu chamado missionário por ter sido atraído por ‘fogo de homens’. Jesus queria mostrar a Pedro que ele tinha nascido para testemunhar com o fogo verdadeiro, ou seja, mostrar ao mundo que Jesus Cristo é o Senhor e Salvador e diante dEle, todo joelho se dobrará e toda língua confessará que somente Ele é Deus!

Para que possamos fazer diferença em nossa geração precisamos ter esse verdadeiro fogo que mantém viva a nossa alma e traz convicção ao nosso espírito. Existem pessoas famintas que precisam que o pão seja multiplicado para que sejam alimentadas; precisamos desse fogo para levar alimento aos famintos e água aos sedentos!

Hoje Deus nos quer trazer à memória que ainda há pão e água para o nosso espírito a fim de que saiamos da nossa zona de conforto e possamos levar o verdadeiro evangelho a todos aqueles que ainda tem fome e sede de Deus. Há muito trabalho para fazer! Por três vezes Pedro negou a Jesus e por três vezes Jesus restaurava a alma de Pedro, ao perguntar: “Pedro, tu me amas? “ e o colacava no centro da Sua vontade qie é boa, perfeita e agradável. Deus te abençoe hoje e sempre!

(Pr. Bruno Brito, sermão ministrado no acampamento do Ministério Conexão, JNI Central, dia 01/11/09, domingo a noite).