domingo, 20 de dezembro de 2009


Texto Base: Cl 2:8,9

No texto lido Paulo faz uma descrição de quem é Jesus. Nesta época do Natal, O chamamos de “menino”, porém, Paulo vai mais além ao narrá-Lo formado e ensinando doutrinas. Jesus foi alguém que sendo o próprio Deus se fez homem e habitou entre nós.

Deve-se tomar cuidado com as falsas filosofias ensinadas no mundo e lembrar que Jesus é o centro de tudo; Nele habita toda a plenitude de Deus! Tudo que Deus é esteve em Jesus e tudo o que Jesus fez, o fez porque Ele é Deus. Jesus é a expressão exata de Deus. Precisa-se fugir da filosofia natalina imposta pelo mundo e lembrar do mais importante de tudo que é a Divindade de Jesus!

Dentre tantas características de Jesus, destacamos também que Ele é um Deus sempre presente; Jesus é Emanuel, Deus conosco. Os Seus atos foram atos de Deus (Atos 5); Ele perdoou pecados, acalmou o mar e cessou o vento – Cristo faz o que somente o dono da criação pode fazer!

Precisa-se conhecer as Escrituras porque nelas estão o caminho da vida eterna; elas testemunham de Jesus. O Evangelho que é o nascimento, a vida, a morte e a ressurreição de Jesus e também a esperança de vida eterna, não pode ser “engavetado”, mas vivenciado e pregado diariamente!

Voltemos para Cristo, pois tudo que Deus é, está na pessoa de Jesus!

Deus te abençoe!!!

(Pr. Aguiar – sermão ministrado na Igreja do Nazareno Central de Campinas, domingo de manhã, 20/12/2009).

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Relacionamentos


Texto Base: Gênesis 43:11

Ninguém começa um relacionamento com o objetivo de ser ferido ou ferir alguém, a não ser que esse alguém seja como um “kamikaze do amor”, porém, é comum encontrarmos relacionamentos sendo falidos frutos de decisões mal tomadas. As decisões que tomamos podem gerar alegria ou tristeza!

José foi o caçula dentre doze filhos que Jacó teve; conhecido por seus ousados sonhos e por ser o predileto de seu pai. Certo dia, Jacó pede a José que fosse ao vale de Hebrom para que visse se seus irmãos iam bem e os rebanhos. José foi ao encontro de seus irmãos e eles tramaram em seus corações um plano para matá-lo; Rubem, o irmão mais velho, decidiu que não o mataria e junto com os outros irmãos, vendeu ele a uns mercadores ismaelitas que o levaram para o Egito. No Egito, passa anos na prisão até que após revelar um sonho que veio a mudar o curso daquele lugar, torna-se governador.

Anos mais tarde, a fome atingia a terra onde os irmãos de José e seu pai habitavam. Eles decidem ir ao Egito em busca de mantimentos e se encontram com José, governador, sem, no entanto, o reconhecerem. José ao ouvir o relato de seus irmãos pede que lhes trouxessem algo da terra deles para que recebessem o alimento; e os irmãos, trouxeram um pouco de bálsamo e mel, o que trouxe à memória de José o seu passado.

Muitas vezes a dor se aloja nas pessoas de tal forma que se torna muito difícil perdoar e ter as feridas geradas na alma curadas. Em meio a tudo isso, nosso Pai Celestial tem bálsamo para curar toda a ferida e mel para adocicar a nossa alma novamente e ainda quer nos oferecer mirra para arrancar toda dor que nos incomoda e amêndoas para nos alimentar. A vontade de Deus é que nosso coração, que outrora estava como um picles picotado, seja restaurado por inteiro!

E a vontade de Deus é cumprida através da pessoa de Jesus, que conforme Isaías 53, Ele tomou sobre si as nossas dores e enfermidades e pelas suas pisaduras, fomos curados!
Jesus é o Único que pode curar tanto as enfermidades físicas quanto as dores da alma e convida a todos que se encontram cansados e sobrecarregados para se achegarem até Ele a fim de encontrarem descanso. Ele veio para nos dar alegria novamente!

Que Deus abençoe a todos!

(Pr. Alex – sermão ministrado na Igreja do Nazareno Central de Campinas, segunda-feira, 01/12/2009).


quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Nascimento de Jesus


Texto Base: Lucas 1:26,38


Maria foi uma mulher normal como as demais de sua época; virgem, desposada de José e nela foi achada favor diante de Deus. Certo dia teve um encontro com o anjo Gabriel que lhe trouxe uma mensagem de suma importância: “Alegra-te, muito favorecida! (...) Porque achastes graça diante de Deus”.

A mensagem trazida pelo anjo significa que Maria havia sido escolhida para algo fora do comum; ela daria a luz a um filho (sendo desposada de José e virgem) e lhe poria o nome de Jesus (dentre todos os significados, representava ser o Salvador).

E o anjo continua sua mensagem descrevendo quem seria esse Jesus, menino que nasceria de uma virgem, dizendo que esse seria Grande, filho do Altíssimo. A pessoa de Jesus causaria um impacto em todos os seres humanos e seria alguém de máxima autoridade, ou seja, ninguém haveria acima dEle, pois aquele que é o Filho de Deus é também o próprio Deus.

Após receber a mensagem do anjo Maria tinha uma dúvida: “Mas como será isso?” E o anjo lhe respondeu: “O Espírito Santo descerá sobre ti e o Poder do Altíssimo te envolverá”.

Deus pode gerar algo no ventre de uma mulher pelo Seu poder criativo. Não há limites para Ele!

O ser humano foi criado para ser servo, mas o contexto em que vive não se assemelha com isso: aspira-se a coisas grandes! Porém no texto, aprendemos com Maria uma lição importante se quisermos ser considerado muitos favorecidos por Deus, que é reconhecermos nossa condição de servo e deixarmos Deus fazer a Sua vontade em nossas vidas, afinal ela é sempre boa, perfeita e agradável!


Que Deus abençoe a todos!!!

(Pr. Ernesto – sermão ministrado na Igreja do Nazareno Central de Campinas, domingo às 20:00, 06/12/2009)

sábado, 28 de novembro de 2009

“As Aparências Enganam”


Texto Base: Gênesis 13:1,13

Tudo começa com uma pequena confusão entre os pastores do rebanho de Abrão e os pastores do rebanho de Ló iniciada pela falta de limitação entre a área ocupada por cada ovelha. Nos dias de hoje, precisamos ter claro quem é o nosso pastor, a pessoa responsável pelo cuidado constante de nossa vida espiritual para que confusões não aconteçam! Para resolver esta situação Deus chama a Abrão e pede que se separe de Ló. Abrão prontamente atendeu!

Uma característica interessante na personalidade de Abrão, pai da fé, era a sua humildade. Ele poderia ter escolhido um pedaço de terra para se mudar, porém dá a Ló esse direito de escolha. Ló, seduzido pela aparência, acabou por tomar uma decisão errada.

Com nossas vidas não ocorre diferente do que ocorreu com Ló. Muitas vezes somos atraídos por propostas ilusórias de emprego, por relacionamentos que aparentam ser saudáveis ou situações que parecem mostrar o melhor caminho; mas não são! Nem sempre aquilo que vemos e consideramos ser bom é aquilo que Deus quer para nós, as vezes, o lugar para onde devemos ir pode não ser o mais belo, com festinhas ou cinemas, mas é o melhor para nossas vidas.

Precisamos fugir da aparência do mal. O mundo é muito atrativo, mas não tem absolutamente NADA para nos oferecer, a não ser ódio, vingança e maldade; porém, Deus deseja nos oferecer paz, amor e alegria!

O final da história é de destruição para toda a cidade escolhida por Ló para morar, não apenas a cidade, mas a sua esposa também, por escolher olhar para trás ao invés de apenas deixar a cidade. Deus teve compaixão de Ló e lhe poupou a vida!

Jamais podemos nos deixar ser seduzidos por aquilo que parece ser bom, antes voltarmos nossos olhos para o Autor e Consumador da nossa fé, certamente, Ele tem um lugar bom para irmos. Deus abençoe a cada um de vocês!

(Pr. Tiago Anzioto – sermão ministrado no encontro do Ministério Conexão, JNI Central de Campinas, sexta, 27/11/2009)

sábado, 14 de novembro de 2009

Amar a Deus e ao Próximo


Texto base: Mt 22: 34,40

Alguns fariseus, calados, em virtude das respostas que Jesus lhes dava sobre assuntos da Lei judaica, reuniram-se certo dia com o intuito de pega-Lo em contradição. Um deles, certo dia, perguntou a Jesus qual era o grande mandamento e a resposta que ouviu foi surpreendente. Jesus, o Mestre dos mestres, resumiu todos os que existia em apenas dois: Amar a Deus e Amar ao Próximo.

Amor é mais que um sentimento; é algo que nos referencia como seres humanos e nos faz mais semelhantes a Cristo. Porém, esse Amor tem se esfriado em nosso meio nos últimos dias e isso, não pode continuar assim! Se quisermos ser uma geração provada pelo Fogo e pelo Senhor Jesus dar a nossa vida, precisamos praticar esse grande mandamento ensinado por Jesus: Amar! A Palavra de Deus nos diz que aqueles que não amam, não conhecem a Deus, pois Deus é Amor; e ainda diz que quem não ama a Deus, que seja anátema! Precisamos Amar a Deus, acima de quaisquer escolhas, porque Ele nos amou primeiro!

O apóstolo Paulo descreve em I Coríntios 13 sobre o Amor, dentre todas as características destaco que quando amamos entendemos que Deus tem a primazia sobre nossas vidas. Amar é doar-se e ser responsável! Sem amor, todo dom e talento de nada valeriam. Amar a Deus acima de todas as coisas, significa que não conseguimos ficar longe da presença dEle – falar com Deus, ler a Bíblia e comunicar aquilo que Cristo fez e faz em nossas vidas ao nosso próximo.

O amor ensinado por Jesus não busca seus próprios interesses e jamais acaba. Busquemos a Deus pelo que Ele é e não simplesmente pelo que Ele faz! Deus requer de nós um relacionamento íntimo com Ele e conta conosco para que possamos impactar a nossa geração.

Amar ao nosso próximo representa suportar a todos, independentemente de suas características pessoais. Nenhum ser humano é isento de falhas! O amor ao próximo supera quaisquer defeitos e nos aproxima como seres humanos. Que tipo de amor temos vivido? A paixão, segundo o mundo, é passageira! Mas o Amor ensinado por Jesus dura para sempre!

Não amemos apenas de palavras, mas de fatos e verdades. Louvemos a Deus porque somos livres para anunciar o Seu Amor dentro de nosso país a todos que nos cercam.

É hora de repensarmos o amor que temos vivido e deixar que o Fogo de Deus queime toda palha e o Seu Amor transborde em nossos corações a ponto de contagiar o nosso próximo. Entregar-se a Deus por inteiro é amá-Lo com todas as nossas forças e amar ao nosso próximo como a nós mesmos. Que Deus abençoe vocês!

(Pr. Fábio Mica – sermão ministrado no encontro do Ministério Conexão, JNI Central de Campinas, sexta, 13/11/2009)

sábado, 7 de novembro de 2009

“Ficai em Jerusalém até que do Alto recebais poder”


Texto Base: Atos 2:1,4

Jesus foi preso, humilhado, ressuscitou ao terceiro dia, apareceu aos Seus discípulos e deixou uma ordenança a cerca de 500 pessoas reunidas: “Ficai em Jerusalém até que do Alto recebais poder”. Deus tem um plano para cada um dos Seus filhos e através deles.

Interessante notar que das cerca de 500 pessoas que receberam a ordenança, apenas 120 estavam celebrando o Pentecostes. É importante estar sempre vigiando para que o ladrão não venha e roube a coroa! Deus tem para cada um de nós um tesouro guardado nos céus, nos deu a Sua intimidade e nos mostrou um mundo a ser alcançado! Há muito que fazer, mas devemos nos guardar para que não percamos a nossa coroa, aquilo que o Senhor tem para nós.

Alguns pontos importantes que podemos aprender com o episódio da festa de Pentecostes:

1 – Os que estavam presentes tinham uma só visão, uma só fé e um só propósito: Buscar o Senhor Jesus. Precisamos ser um corpo mantido em um propósito único de servir a Jesus, único Senhor e Salvador, a fim de que almas sejam alcançadas pela Sua graça.

2 – Os ouvidos dos presentes estavam sensíveis ao que Deus queria falar com eles. Foi de repente que se ouviu um som! Se mantivermos nossos ouvidos inclinados a Jesus não estaremos limitados a circunstâncias contrárias; poderemos vivenciá-las, mas serão passageiras.

3- Os olhos de cada pessoa estão voltados para o Fogo que vem Deus. Línguas como de fogo desceram sobre todos e ficaram cheios do Espírito Santo! Esse Fogo serve para purificar e fortalecer o espírito. Não podemos alimentar a carne, mas olhar somente para o Fogo que vem de Deus para resistir ao dia mal, como diria uma musiquinha: “Cuidado olhinho o que vê, cuidado mãozinha o que pega (...)”. Que possamos trazer à memória, constantemente, as palavras de Paulo aos filipenses: “Jovens, eu vos escrevi porque sois FORTES”. Fogo sobre a nossa cabeça significa ter a nossa consciência liberta do domínio das trevas e passar a ter a mente de Cristo!

4- O Espírito Santo desceu sobre todos e os capacitou a fim de que eles falassem das maravilhas de Deus e fossem testemunhas dEle! Quando o Espírito do Senhor desce sobre nossas vidas, deixamos de viver para nós mesmo e passamos a viver por Ele. Paulo mesmo relatou isso dizendo que já não era ele mais que vivia, mas o Espírito que vivia por Ele. Precisamos desejar essa plenitude do Espírito Santo para irmos além dos nossos limites e alcançar almas para Jesus!

Hoje, já não há mais condenação para todos os que estão em Cristo, glória a Ele! Que possamos ter isso em mente e deixar que o Espírito Santo faça uma obra linda em nós e através de nós para impactarmos a nossa geração com o Evangelho de Jesus. Deus abençoe a todos.

(Pr. Bruno Brito – sermão ministrado no reencontro do acampamento Conexão, ministério da JNI-Central, 06/11/09)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

“Fogo de Homens ou Fogo de Deus?”


Texto Base: Lucas 22:54,62

Tudo o que não é ESSÊNCIA é destruído ou precisa passar por um processo de provação para que se torne essencial. Esse processo é feito pelo Fogo! No entanto, devemos nos atentar que o fogo pode vir de duas fontes distintas: de Deus ou pelos homens. Por qual dessas formas estamos sendo provados?

O cenário lido no texto de Lucas trata do momento que antecedia a morte de Cristo, situação que já havia sido profetizado pelo profeta Isaias. Jesus estava na casa do sumo-sacerdote onde fora ferido na alma, através de um cuspe no rosto, e humilhado profundamente.

Havia um homem chamado Pedro, impetuoso, cheio de coragem e expectativas, pregava constantemente que por Cristo daria até mesmo a sua vida. Porém, diante da morte de Jesus, O negou três vezes! Pedro andou constantemente com o Mestre e participou da inauguração do cristianismo, mas negou o Cristo três vezes.

Uma característica da vida de Pedro era que até aquele momento, negação de Jesus, ele seguia o Mestre à distância. O distanciamento da presença de Deus é a principal causa do esfriamento do coração humano; é necessário manter o fogo de Deus sempre aceso na alma do homem. Se esse fogo for aceso por homens, perde-se aquele que outrora existia no coração do homem e o processo inverso acontece: prevalência da carne contra o espírito.

Este “fogo” quando aceso por homens tem o poder de nos fazer negar àquele quem conhecemos. Notem bem que Deus usou uma criada, mulher sem valor algum para aquela época, para reconhecer Pedro como sendo alguém que estava com Jesus, mas o distanciamento de Deus fez com ele O negasse pela primeira vez. Precisamos tomar cuidado sempre, pois os olhos do mundo estão voltado para nossas vidas e anseiam por ver a diferença que o real fogo, aceso por Deus, produz em nós.

Além disso, o “fogo” que é aceso por homens, consome toda a nossa coragem e muitas vezes o nosso primeiro amor. Após negar a Jesus pela primeira vez, Pedro insistiu mais duas vezes que não O conhecia! O “fogo” de homens destrói a nossa memória e consome a Palavra de Deus que habita em nossos corações, ou seja, tudo aquilo que nos dá esperança. Somente após a terceira vez, Pedro lembrou-se das palavras de Jesus acerca do que tinha acabado de acontecer: “Antes que o galo cante, tu me negarás três vezes”.

Por acaso estamos nós entre os que se encontram atraídos por “fogo aceso por homens”, correndo o risco de negar a Jesus também? Uma coisa é importante que saibamos hoje: mesmo após Pedro negar a Jesus, este olha para ele e continua amando-o e olhando-o com graça e misericórdia!

Após a sua ressurreição, Jesus prepara todo um cenário para alcançar de volta o coração de Pedro, alguém que se encontrava amargurado e que tinha se esquecido do seu chamado missionário por ter sido atraído por ‘fogo de homens’. Jesus queria mostrar a Pedro que ele tinha nascido para testemunhar com o fogo verdadeiro, ou seja, mostrar ao mundo que Jesus Cristo é o Senhor e Salvador e diante dEle, todo joelho se dobrará e toda língua confessará que somente Ele é Deus!

Para que possamos fazer diferença em nossa geração precisamos ter esse verdadeiro fogo que mantém viva a nossa alma e traz convicção ao nosso espírito. Existem pessoas famintas que precisam que o pão seja multiplicado para que sejam alimentadas; precisamos desse fogo para levar alimento aos famintos e água aos sedentos!

Hoje Deus nos quer trazer à memória que ainda há pão e água para o nosso espírito a fim de que saiamos da nossa zona de conforto e possamos levar o verdadeiro evangelho a todos aqueles que ainda tem fome e sede de Deus. Há muito trabalho para fazer! Por três vezes Pedro negou a Jesus e por três vezes Jesus restaurava a alma de Pedro, ao perguntar: “Pedro, tu me amas? “ e o colacava no centro da Sua vontade qie é boa, perfeita e agradável. Deus te abençoe hoje e sempre!

(Pr. Bruno Brito, sermão ministrado no acampamento do Ministério Conexão, JNI Central, dia 01/11/09, domingo a noite).











segunda-feira, 8 de junho de 2009

Sofrimentos


Texto Base: I Pedro 4:12, 19

Nos dias de hoje vive-se dias de muitos sofrimentos, tais como: catástrofes, terremotos, maremotos e perda de pessoas queridas. Sofrimentos poderiam ser classificados como situações fáceis de serem observadas, porém não fáceis de serem assimiladas. Como cristãos, como devemos encará-los? O que significa sofrer sendo cristão?

A Palavra de Deus, a Bíblia, não isenta o ser humano de passar por sofrimentos e situações que podem tirar noites de sono, pelo contrário, Jesus garantiu a todos que no mundo haveria aflições e aconselhou: “Tende bom ânimo”. Ao ler-se as Sagradas Escrituras no livro de I Pedro podem ser extraídos alguns outros conselhos, dentre os quais, destacaremos alguns:

1º. Todos os sofrimentos são previsíveis. Quando eles baterem à porta de alguém, não precisa entrar em desespero e nem negar a existência deles. Em I Pedro 4:12, lê-se: Não estranheis o fogo ardente (...)”. Todos que vivem piedosamente passam por situações de muita dor (fogo ardente); precisa-se ter bom ânimo em meio a elas, na certeza de que não serão eternas.

2º.Alguns sofrimentos que existem são providenciais para o aprendizado. Deus usa o fato de passarmos por sofrimentos para que o homem seja moldado segundo a Sua vontade. Já dizia um renomado escritor que os sofrimentos são como o megafone de Deus para uma humanidade adormecida. As lutas da vida devem ser entendidas de um forma espiritual, devendo ser aceitas naturalmente.

3º. O sofrer faz parte da vida humana da mesma forma que fez parte da vida de Cristo. À medida com que eles vêm, precisa-se agir como Jesus agiu: servindo a Deus com mais força e com um coração quebrantado. Ao correr para os braços do Pai, encontra-se suprimentos que ajudam na luta pela sobrevivência. Deus conhece cada um de Seus filhos e sabe a luta que enfrentam, por isso está sempre pronto a ajudar.

Assim como o Senhor Jesus, precisamos aprender a encarar nossas dores, clamando a Deus por socorro, na expectativa de que Ele nos ouvirá e no tempo oportuno tudo se fará novo. Sofrimentos fazem parte da caminhada da vida, porém não se pode deixar que eles afastem o homem de Deus – ao longo da história muitos valentes passaram por dores, mas foram fiéis à Palavra até o fim. Lembremos das palavras de Jó no livro que leva o seu nome: “Eu sei em quem tenho crido e de que no final, Ele me levantará do pó.”

Cada sofrimento que Jesus passou, Ele tudo suportou por Amor – como ovelha muda levada ao matadouro – Por toda a humanidade, Jesus padeceu da mais forte dor: a morte de Cruz! E isto Ele fez por Amor a todos quantos nEle cressem! Que em meio ao nosso sofrer, possamos ser encorajados a seguir o exemplo deixado por Cristo, amando-O com todo o nosso coração por tudo o que Ele é e faz por nós. Que Deus abençoe a todos.

(Esboço do sermão do dia 07/06/2009, domingo pela noite, ministrado pelo Pr. Ernesto Ferreira Jr, na Igreja do Nazareno Central de Campinas, anotado por Lucas Tognolo).

(Ernesto Ferreira Jr., Pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, SP, é formado pelo Seminário Teológico Nazareno, Mestrando em Ciências da Religião pelo Seminário Nazareno das Américas e convidado pelo Pr. Aguiar para compor sua equipe desde Janeiro de 2003, a qual atua como responsável pelo ministério de Grupos Pequenos)

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Esperando contra toda Esperança


Texto Base: Romanos 4: 13,25

Nos dias modernos temos encarado um tempo de crise por todos os segmentos da sociedade – família, relacionamentos, economia, profissão. É difícil encarar lutas diárias, principalmente, ao saber que o amanhã também promete mais lutas. Todos nós temos lutas e há dias que parecem que as vinte e quatro horas são eternas.

O texto lido como referência nos ajuda muito ao mencionar uma ferramenta disponível a todos nós; uma ferramenta que não depende das circunstâncias que tivemos ou não, mas unicamente do interesse de Deus nas nossas vidas. Não é pela Lei que somos candidatos às promessas de Deus, mas pela Justiça da Fé – é ela que nos ajuda a enfrentar situações que não conseguiríamos por conta própria.

O que faz a diferença na vida de uma pessoa é o que ela crê; é a atitude dela em como se achegar diante de Deus, pela graça que lhe foi concedida. Abraão não foi abençoado pela Lei, mas pela Fé! Ele foi um homem disposto a crer naquilo que Deus tinha proposto a fazer por ele, e nisso, a graça de Deus se fez manifesta na vida dele. Deus tem todo o poder de fazer algo extraordinário acontecer em nossas vidas, se tão somente, crermos. Tudo o que crermos na Palavra, com o nosso coração, estará disponível para nossas vidas, através de Jesus Cristo!

A promessa de Deus para nossas vidas vai além do que possamos imaginar; muito mais que nossos corações possam sentir - é algo indescritível. Abraão creu que Deus podia chamar à existência as coisas que não existem, afinal Deus é o Criador – tudo se formou pelas Suas mãos; a terra era sem forma e vazia, mas o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas e com uma simples palavra, tudo Ele chamou a existência. O mesmo Deus do Gênesis também opera nos dias de hoje e pode com uma simples palavra chamar para nossas vidas aquilo que nós precisamos: paz, amor, harmonia, saúde – O Evangelho de Jesus Cristo traz esperança ao coração do homem.

Abraão esperou contra toda esperança; esperança que às vezes traz confusão para a nossa vida, porque o tempo passa – os anos se vão – e não vemos nada acontecer. Se soubermos esperar em Deus, crendo, mesmo que contra toda esperança, veremos coisas maiores e melhores acontecer para nossas vidas – No caso de Abraão, ele teve uma descendência maior que as estrelas do céu – isso porque Deus é Deus!

A espera, muitas vezes, tem o poder de nos enfraquecer. Assim como Abraão, precisamos lembrar-nos do que Deus nos falou e trazer à nossa memória somente aquilo que nos dá esperança, ânimo e expectativa. As situações à nossa volta passam, mas a Palavra de Deus não pode passar – afinal, Deus não é homem para que minta, nem filho de homem para que não possa cumprir aquilo que tem separado para aqueles que O amam. Que possamos hoje, aprender a olhar para o amor que Deus tem por nós e não para as circunstâncias que nos rodeiam, como diz uma música: “Não olho as circunstâncias – não, não, não; olho o Seu Amor, Seu grande Amor! Não me guio por vistas, alegre estou.” Deus é fiel e cumprirá tudo o que Ele sonhou para nossas vidas.

Pela fé, Abraão se fortaleceu. Devemos continuar nossa caminhada na certeza de que no tempo certo, a vitória chegará. Podemos até nos sentir fracos, mas não podemos desistir e duvidar do que Deus é capaz de fazer. Deus pode todas as coisas e no final, Ele nos levantará do pó. Não importa o que outros possam dizer, Deus hoje nos diz algo – Ele não se esquece de você e de mim e se importa com nossas vidas – fiquemos firmes no Senhor, Nele há esperança. Que Deus nos abençoe.

(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 10/05/2009, domingo à noite, na “Comunidade da Esperança” – Campus II da Igreja do Nazareno Central de Campinas - pelo Pr. Flávio Valvassoura, anotado por Lucas Tognolo)

(Fávio R. Valvassoura é pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, formado pelo Seminário Teológico Nazareno e também pelo Beeson Institute do Asbury Theological Seminary, EUA, com especialização em Pregação Bíblica e Liderança Eclesiástica, é coordenador nacional e sul-americano de treinamento e capacitação de líderes. Membro da Junta Geral. Doutor em Ministério pelo Asbury Theological Seminary, Wilmore, KY,EUA. Desenvolveu ministério como pastor na Igreja do Nazareno Ebenézer – Campinas, SP e na Igreja do Nazareno Brasileira – Nova York, EUA. Atua na equipe pastoral da Igreja do Nazareno Central desde 2005.)

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Cavando Poços


“(...) e os servos de Isaque abriram ali um poço”

Gênesis 26:25b

Texto Base: Gênesis 26:1,25

Logo no primeiro versículo do texto podemos perceber que o povo de Deus vivenciava um momento de grande crise, há relatos de que era o tempo da segunda maior crise econômica daquela época – Grande Fome sobre toda a terra. E no meio de tudo isso, Isaque, filho de Abraão, teve uma experiência poderosa com Deus, conforme lemos em Gênesis 26:2 – “Aparece-lhe o Senhor e disse (...)”. Em meio a crise vivida, Deus se manifestara na vida de Isaque!

No mundo encontramos dois tipos de pessoas; as que acreditam nos sonhos e as que estão sempre na espera de que algo errado possa acontecer. Há pessoas que andam a nossa volta tentando nos roubar a alegria, assim como os filisteus fizeram com Isaque, tentam transformar nossos poços em covas. Poços simbolizam um lugar onde sai água, e covas, lugares que representam morte.

Ao mesmo tempo em que lemos em Gêneses 26:14 – “possuía ovelhas e bois e grande número de servos, de maneira que os filisteus lhe tinham inveja.” – sabemos que essas pessoas que querem “entulhar nossos poços” são condenadas à destruição. Deus é o grande sonhador do Mundo e conseguiu, através de Jesus, Seu maior sonho para a humanidade lá na cruz. O mundo é dos sonhadores! Não podemos parar de sonhar, jamais. A crise pode ser o nosso maior passaporte para um encontro com Deus; Ele quer se revelar a nós, assim como fez a Isaque.

Extraindo cinco coisas importantíssimas para nossas vidas através desse texto:

1ª. Coisa – Decidir quem queremos seguir.

A quem iremos seguir? Às crises ou a Deus; ao problema ou a solução? Não existe vitória sem riscos! Precisamos, hoje, decidir dar passos de fé em direção à vontade de Deus para nossas vidas. No texto, Gênesis 26:2 – “Apareceu-lhe o Senhor e disse: NÃO desças ao Egito. FICA na terra que EU te disser.” – É melhor estarmos no “deserto”com a presença de Deus, nosso Pai; do que em um “oásis” sem a presença Dele. Pelo poder do nosso Senhor, somos livres para decidirmos a quem seguir.

2ª. Coisa – Decidir em quem nós vamos acreditar.

Há pessoas que preferem acreditar em crises passageiras ou até mesmo, em mentiras proferidas contra elas. Não podemos nos esquecer que em meio a quaisquer crises, Deus tem sempre uma promessa para cada um de nós e cuida das nossas vidas. Precisamos acreditar em Deus, na Sua soberania e provisão para a nossa vida. Conforme lemos em Gênesis 26:12 – “Semeou Isaque naquela terra e, no mesmo ano, recolheu cento e um, porque o SENHOR o ABENÇOAVA.” – Isaque crescia na terra que o Senhor lhe mandara, mesmo em tempo de crise, pois ousou acreditar.

3ª. Coisa – (26:17) “Isaque saiu daí e se acampou no vale de Gerar, onde habitou.”

Lemos anteriormente, em Gênesis 26:15 – “E, por isso, lhe entulharam todos os poços (...)”; e em seguida, Isaque sai daquele lugar e vai para um deserto onde monta o seu acampamento. Muitas vezes, como Isaque, estamos vivenciando um momento de grande festa, porém, de repente, o que era festa se transforma em um grande vale. Meus amados, não podemos nos deixar levar pelas circunstâncias que nos cercam, pois existe um poder maior do que qualquer uma delas que é o Poder do Nome do nosso Deus. Em Eclesiastes 8:7 diz: “Porque este não sabe o que há de suceder; e, como há de ser, ninguém há que lho declare.” – O melhor de Deus para cada um de nós, mesmo vivendo em um vale, ainda está por vir para que o nome Dele seja engrandecido.

4ª. Coisa - Não podemos desistir de Cavar Outros Poços

(Gênesis 26:21,22)-“Então, CAVARAM OUTRO POÇO e também por causa desse contenderam. Por isso, recebeu o nome de Sitna. Partindo dali, CAVOU AINDA OUTRO POÇO; e, como por esse não contenderam, chamou-lhe Reobote e disse: Porque agora nos deu lugar o Senhor, e prosperaremos na terra.” Não podemos desistir de cavar nossos poços, pois quanto maior for nosso sonho; muito maior será o que Deus tem para nós!

5ª. Coisa – Deus tem lugares altos para nossas vidas

(Gênesis 26:23) “Dali SUBIU para Berseba”. Deus abençoará as nossas vidas de uma forma muito especial. Na hora do vale, sempre chegará um tempo em que Ele nos levará para lugares bem mais altos! Deus sempre tem um próximo passo para aqueles que são fiéis a Sua Palavra e O obedecem. Não paremos de lutar, pois Deus quer nos levar para lugares mais altos que possamos imaginar.

Para concluir, lemos em Gênesis 26:25 – “Então, levantou ali um altar e, tendo invocado o nome do Senhor, armou a sua tenda; e os servos de Isaque ABRIRAM ali um POÇO.” - Isaque novamente cavou poços, caracterizando uma pessoa que não desistiu em meio à dificuldades, crises, pessoas que tentarem entulhar seus sonhos; ele continuou. Assim como Isaque, se continuarmos a cavar nossos poços, sem desistir, um dia teremos nossos sonhos reconhecidos por todos a nossa volta. Deus tem para nossas vidas uma grande vitória! Que o Senhor nos abençoe.

(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 11/05/2009, segunda-feira, na Igreja do Nazareno Central, pelo Pr. Jocymar Fonseca, anotado por Lucas Tognolo)

(Jocymar B. Fonseca é formado pelo Seminário Nazareno em 1994 e faz parte da Equipe Pastoral da Igreja do Nazareno Central em Campinas desde 1995 na qual atua como pastor responsável pelo ministério de louvor e adoração e é líder do ministério Celebrai.)

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Quem é Deus?


Texto Base: Salmo 46

Este Salmo faz uma apresentação Majestosa de Deus: Ele é refúgio, fortaleza e socorro bem presente na tribulação; é utilizado por demasia nas situações de desespero e crises, mas será que são apenas essas as características de Deus: refúgio ou bom conselheiro? O que é que Deus representa para nossas vidas?

O homem, mediante a tudo o que acontece, é um ser frágil. Doenças assolam o globo constantemente, crises financeiras que derrubam nações; em face disso tudo, só podemos dizer que a espécie humana é limitadíssima! Essa fragilidade não tem vacina, tira-nos a prepotência e exalta a Majestade de Deus.

Ao lermos o Salmo 46:1 – “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações.” – notamos que o verbo está conjugado no tempo presente, indicando que Ele É, hoje, nosso refúgio, fortaleza e socorro. Este Salmo aponta Deus para um lugar que se corrermos para lá; Deus estará também!

Todas as coisas foram feitas por intermédio Dele e sem Ele, nada do que foi feito se fez. Deus é Soberano! O Soberano Deus se revela na pessoa de Jesus, como já O fez muitas vezes no Antigo Testamento, mostrando-nos que pode fazer o mar se abrir, a água sair da rocha, e tantas coisas; afinal, Ele é o “Eu Sou”. No Novo Testamento, o mesmo “Eu Sou” faz com que a tempestade se acalme e os ventos cessem e faz-nos lembrar: “Até quando estarei convosco e sofrereis?” Basta uma simples palavras do Mestre dos mestres que tudo se faz calmo, a ponto dos discípulos de Jesus se perguntarem: “Quem é este que até os ventos e o mar O obedecem”.

Deus é Onipotente; Ele tem poder sobre tudo e todos. Deus não é Deus pelo que Ele faz, mas pelo que Ele é: O Senhor dos Exércitos! Ele é o nosso refúgio em tempo presente. Louvado seja o Nome Dele. Assim como a sombra é quase imperceptível, intangível e muitas vezes, não a vemos; também é nosso Deus – na Sua sombra encontramos descanso, mesmo que muitas vezes não a vemos.

Majestoso, Soberano e Onipotente – Deus está sempre no controle! Além dessas características, Ele também nos diz que é Onipresente, sempre conosco em todas as situações que passarmos, quer sejam em tempo de bonança ou de crise. Há uma cidade na qual se encontra alegria, a cidade de nosso Deus, e essa cidade é o nosso coração contrito e arrependido – E a vontade Dele é fazer morada nele.

Assim como diz um velho hino: “Chuvas de bênçãos teremos, chuvas de bênçãos dos céus. Nações bramam, povos tremem, mas o Deus a quem servimos jamais se abala. Pode a economia não ir tão bem assim ou o “porco espirrar”, Deus continua sendo o mesmo eternamente, conhecedor de todas as coisas antes mesmo de a conhecermos. Tudo está no controle das Suas mãos! Que Deus te abençoe.


(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 03/05/2009, domingo de manhã, pelo Pr. L Aguiar Valvassoura, na Igreja do Nazareno Central de Campinas, anotado por Lucas Tognolo)

(L. Aguiar Valvassoura, Pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, SP, é preletor e conferencista em vários congressos e seminários nacionais e internacionais, bacharel em teologia pela Faculdade Teológica Nazarena de Campinas – Brasil, doutor Honoris Causa pela Universidade Nazarena de Point Loma – EUA, é criador do Colégio Jaime Kratz e da Associação Nazarena Assistencial que atende hoje cerca de 310 crianças e é fundador do Ministério Mãos Estendidas)

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Texto Base: Marcos 5:25,34


“E Ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz e fica livre do mal” Marcos 5:34

A história narrada em Marcos nos retrata algumas peculiaridades que enfrentamos; todos nós passamos por momentos difíceis, tais como, a perda de alguém, um emprego ou enfermidade.

As tragédias da vida normalmente nos pegam de surpresa, de uma forma que subitamente, aquilo que estava indo tão bem, começa a ir tão mal.

A personagem principal da história sofria de uma hemorragia há doze anos, não sabemos o porquê de tamanho sofrimento, mas podemos imaginar que era mui grande a ponto de ela procurar todas as formas possíveis para se ver curada. Assim é com a nossa vida também: quando enfrentamos uma terrível dor, tentamos todas as maneiras possíveis para de alguma forma ver o que nos atormenta ir embora.

Infelizmente, diante disso, muitas pessoas são ludibriadas e enganadas por certos tipos de “curas espirituais” que só as fazem ficarem com as forças drenadas. Na tentativa de estancar as feridas, é comum nos encontrarmos como essa mulher: Sofrendo e Sem Forças. Uma pequena hemorragia, se não tratada pode levar-nos à morte – Só há uma pessoa capaz de estancar quaisquer feridas do corpo e da alma, e essa pessoa tem o nome que está acima de todo nome: Jesus Cristo!

Conforme lemos em Marcos 5:26: “e muito padecera à mão de vários médicos, tendo despendido tudo quanto possuía, sem, contudo, nada aproveitar, antes, pelo contrário, indo a pior.” Uma pequena hemorragia, não tratada, só fazia aquela moça piorar. Se não tratarmos daquilo que nos faz sofrer, o amanhã poderá ser muito pior!

Mas que bom é saber que há esperança em meio a quaisquer “hemorragias”, crises diversas que enfrentamos. Aquela moça ouvira falar da fama de Jesus: por onde Ele passava, vidas eram curadas e transformadas! Hoje o mesmo também se aplica em nossas vidas; Jesus não apenas tem o poder para nos curar de toda mazela, como também, pode libertar-nos de toda cadeia que nos prende. Precisamos, uma vez conhecendo a fama Dele, espalhar por toda cidade daquilo que fez e faz em nós – Quando Jesus põe a Sua Poderosa mão em nossas vidas é impossível não querermos compartilhar com todos o que Ele tem feito, pois grandes são as obras das Suas mãos.

A mulher ao ouvir falar da fama de Jesus, resolveu em seu coração encarar a multidão que cercava a Cristo e por um ato de fé, tão somente, tocar-Lhe as vestes para ser curada. Jesus está disponível a todos nós, mas precisamos encarar as “multidões” que nos cercam: medo, doenças e quaisquer impossibilidades – e apenas, pela fé, crer que Jesus pode nos curar. A moça creu que o Senhor podia curá-la e foi curada! A diferença não está no ato de tocar as vestes de Jesus, mas na forma como se deu o ato: pela fé! Não precisamos fazer muito, apenas termos uma atitude de fé, crendo que em Jesus está todo o poder para nos fazer livres de todo sofrimento.

Na passagem de Marcos 5:29 lemos: “E logo se lhe estancou a hemorragia, e sentiu no corpo estar curada de seu flagelo.” Quando Deus toca em nós, sentimos que algo nos acontece, que a graça nos alcançou e, de imediato, somos curados. Louvado seja o Nome que está acima de todo nome, sob o qual um dia todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Ele (Jesus Cristo) é o Senhor!

Jesus, sendo Deus, e portanto, Onisciente, sabia quem o havia tocado nas vestes, porém, como Mestre, queria ainda ensinar à multidão mais uma coisa: Além da cura, Ele também está interessado em perdoar. Jesus olha ao redor e procura a mulher, e a mulher, cheia de temor, prostra-se aos Seus pés, contando toda a verdade. Após isso, Jesus a despede debaixo de paz, dizendo: (Marcos 5:34 “Filha, a tua fé te salvou, vai-te em paz e fica livre do mal.”) À todos quanto estão com a vida em pé de guerra, Jesus quer liberar a paz, não como um mundo a dá (uma paz armada), mas uma paz que excede todo entendimento! A hemorragia se estancou, mas o mal daquela moça foi embora depois que ela contou toda a verdade a Cristo.

Hoje, Jesus também quer estancar toda a hemorragia que nos incomoda, seja ela causada por uma doença física ou emocional, basta nós, com um ato de fé encarar as multidões e pela fé, tocar-Lhe as vestes, crendo que Dele pode sair poder para nos libertar. A nossa história pode ser mudada ao contarmos a Ele toda a verdade e então, termos paz! Que Deus te abençoe.

(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 03/05/2009, domingo à noite, na “Comunidade da Esperança” – Campus II da Igreja do Nazareno Central de Campinas - pelo Pr. Flávio Valvassoura, anotado por Lucas Tognolo)

(Fávio R. Valvassoura é pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, formado pelo Seminário Teológico Nazareno e também pelo Beeson Institute do Asbury Theological Seminary, EUA, com especialização em Pregação Bíblica e Liderança Eclesiástica, é coordenador nacional e sul-americano de treinamento e capacitação de líderes. Membro da Junta Geral. Doutor em Ministério pelo Asbury Theological Seminary, Wilmore, KY,EUA. Desenvolveu ministério como pastor na Igreja do Nazareno Ebenézer – Campinas, SP e na Igreja do Nazareno Brasileira – Nova York, EUA. Atua na equipe pastoral da Igreja do Nazareno Central desde 2005.)

terça-feira, 28 de abril de 2009

“O Poder do Nome de Jesus”


Texto Base: Atos 3:1,10

Normalmente quando temos dificuldades para nos achegar a certo nível e, conhecendo alguém que já trabalha nesse nível mais alto, procuramos nos aproximar desta pessoa para falar com ela; e é muito comum ouvirmos dela frases como: “Vá e podes dizer que eu te autorizei”. Há alguns nomes que têm facilidades de abrir algumas portas que nós, por nós mesmos, não conseguiríamos.

O milagre relatado no texto de Atos 3 é o primeiro realizado pelos apóstolos após o Pentecostes, descrito em Atos 2, na qual, ocorreu a descida do Espírito Santo e todos ficaram cheios Deste. Pessoas que estão cheias do Espírito Santo desenvolvem um coração compassivo, enxergando a necessidade do próximo que passa por dores e o ajuda.

Ao lermos Atos 3:2 – E era trazido um homem que desde o ventre de sua mãe era coxo, o qual todos os dias punham à porta do templo, chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam” - podemos observar que havia um coxo que era carregado por alguém à porta do templo, chamado Formosa, todos os dias, na expectativa de receber algum tipo de ajuda. Os pés daquele homem coxo e os seus tornozelos eram tortos, por isso ele não conseguia se locomover sozinho; vivia da caridade de alguém que pudesse ajudá-lo diariamente.

Muitas pessoas, assim como o coxo da história lida, são ajudadas por pessoas também. Todos nós temos nossas limitações, em quaisquer áreas da vida – financeira, conjugal, social, espiritual – e nem sempre as pessoas que nos ajudam conseguem suprir todas as nossas limitações. E o que aprendemos aqui é que Deus quer nos trazer para algo muito maior do que ficar simplesmente pedindo “esmolas”, mas dar-nos Vida! Na Autoridade do Nome de Jesus podemos liberar uma palavra de vida e cura sobre a vida do nosso próximo e de sua casa que passa por necessidades, assim como sobre a nossa vida também.

Que ousadia teve Pedro, amados! Ele toma a iniciativa daquela situação, olha para aquele homem coxo e diz: “Olha para nós!” Talvez nós não tenhamos olhado direito a nossa volta. Há pessoas cheias do Espírito Santo capazes de liberar cura para nossas vidas – quando a enfermidade olha para alguém cheio do Espírito Santo, ela vê o Poder de Deus! O adversário pode tentar nos derrubar, porém a Unção do Deus Todo-Poderoso é o que faz a diferença na vida de um homem.

O Sangue vertido na Cruz estava sobre a vida de Pedro e está também sobre todos aqueles que buscam a face do Senhor. Olhemos para Jesus e poderemos observar que há algo diferente quando estamos na presença Dele.

Se achegarmos a Cristo para buscar ouro ou prata, procuramos erradamente, porque aquilo que Deus tem para cada um de nós é o que um dia transformou nossas vidas e pode transformar a vida de quem estiver disposto a receber Dele – o Poder que há no Nome que está acima de todo nome, sob o qual todo joelho se dobrará e toda língua confessará que só Jesus é o Senhor!

Na passagem de Atos 3:8 – E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, andando, e saltando, e louvando a Deus” - observamos que Deus trouxe aquele coxo à Sua intimidade e, assim Ele quer fazer conosco também – trazer-nos a uma vida de intimidade com Ele! Deus não quer simplesmente que fiquemos do lado de fora pedindo “migalhas”, mas que entremos no Seu Santuário e O louvemos e O adoremos.

Concluímos lendo em Atos 3:9 – “E todo o povo o viu andar e louvar a Deus” - que TODOS irão reconhecer o que Deus fará em nossas vidas após nos achegarmos a Ele. Como que de um salto, nossas vidas serão transformadas e toda dor irá embora, toda tristeza cessará porque no Nome de Jesus está todo poder para mudar a nossa história. Aquele homem coxo vivia na miséria, porém, já não vive mais. Todo o povo que nos cerca irá conjugar o verbo que demonstra a nossa vergonha no passado, porque no nosso presente fomos transformados pelo Poder que há no Nome do Senhor.

Há poder no Nome de Jesus para pegar o nosso passado sujo e limpá-lo, colocando-nos em pé e cheios de fé e graça, totalmente transformados. Jesus tem o poder de mudar a história de uma família marcada pela destruição e colocá-la como exemplar em uma cidade. Este é o dia em que Jesus quer mudar a nossa história! Que o Senhor nos abençoe.

(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 28/04/2009, terça-feira, na Igreja do Nazareno Central de Campinas pelo Pr. Flávio Valvassoura, anotado por Lucas Tognolo)

(Fávio R. Valvassoura é pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, formado pelo Seminário Teológico Nazareno e também pelo Beeson Institute do Asbury Theological Seminary, EUA, com especialização em Pregação Bíblica e Liderança Eclesiástica, é coordenador nacional e sul-americano de treinamento e capacitação de líderes. Membro da Junta Geral. Doutor em Ministério pelo Asbury Theological Seminary, Wilmore, KY,EUA. Desenvolveu ministério como pastor na Igreja do Nazareno Ebenézer – Campinas, SP e na Igreja do Nazareno Brasileira – Nova York, EUA. Atua na equipe pastoral da Igreja do Nazareno Central desde 2005.)

sábado, 3 de janeiro de 2009

Vencido ou Vencedor?



“Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças; contudo nós o consideramos castigado por Deus, por Deus atingido e afligido.”

(Isaías 53:4)

O que fazemos quando nos deparamos com um problema que não é tão simples de ser resolvido? Sejam esses problemas sonhos ou projetos que foram destruídos por uma enxurrada, um emprego que se perdeu, um ente querido que fora embora ou mesmo uma doença fatal que surgiu. Todos nós temos e teremos experiências difíceis e dolorosas ao longo da caminhada da vida, a começar desde o nosso nascimento (na hora do parto). Mas o que fazer na hora da dor?

Há pessoas que entendem que não são capazes de dar a volta por cima, encarar o problema e sair dele; outras porém, entendem que devem ficar vivendo na auto-piedade e ainda tem outras que preferem procurar culpados pela situação em que se encontram. Outras, por sua vez, fogem do problema. Ao ler o texto de Juízes 11:1,17, vemos a história de um moço chamado Jefté que era filho de um prostituta e fora rejeitado pela própria família, porém deu a volta por cima e transformou-se em um grande líder e libertador do povo de Deus. Muitos, como Jefté, usam a dor para transformarem cicatrizes em estrelas, e você o que tem feito? Tem você sido um vencido ou um vencedor? A seguir, apresentaremos alguns passos para nos ajudar a sermos vencedores em meio às nossas lutas diárias.

1º. Passo – Sair da Defensiva e Fazer Algo que possa transformar a dor em estrelas;

Para Jesus, as adversidades serviam como oportunidades para Ele avançar, crescer ministerialmente; e cada abuso, como oportunidades para demonstrar atitudes persistentes de amor. Precisamos usar um pouco de fôlego que temos para sairmos do “caixão” que nos prende e darmos um passo adiante.

2º. Passo – Nunca se Acomodar em Razão do Fracasso;

Em meio à dificuldade, precisamos descobrir um caminho alternativo para vencermos, usarmos o que temos de melhor para conseguir dar a volta por cima, como no caso da borboleta que se desprende de uma força fora do comum para sair de dentro do casulo e voar. Precisamos ter uma força fora do comum para sairmos do “casulo” que nos prende e voar para ares mais altos que o Senhor tem para nós.

3º. Passo – Lembrar que Em Cada Adversidade existe uma Possibilidade;

Precisamos fazer da nossa dor, um trampolim para o próximo lugar que Deus tem guardado para nós. Fazer da nossa dor, uma possibilidade para crescermos – enxergarmos através dela uma janela aberta para continuar lutando. Deus tem um propósito maior em meio a nossas lutas. Oremos mais, Jejuemos mais e prossigamos adiante!

4ª. Passo – Lembrar que Toda vez que uma Porta se Fecha, Outra se Abre;

Servimos e adoramos a um Deus que é todo-poderoso para nos guardar e libertar de toda dor; Ele é o bom pastor que dá a vida pela suas ovelhas e se uma porta se fechar é porque Ele tem algo bom e melhor para os Seus. Precisamos ter paciência para esperarmos e vermos o melhor de Deus para nossas vidas, crendo que Ele está no controle de todas as coisas. Se uma porta se fechar, outra vai abrir; é só uma questão de ter fé!

5º. Passo – Fazer Algo Muito Maior do que já Fora Feito.

Em meio às nossas lutas; amemos mais, oremos mais, sonhemos mais, insistamos mais um pouquinho e falemos mais. Sempre há algo a mais que possa ser feito para melhorar. Deus não quer simplesmente que vivamos nas nossas experiências do passado, mas sim, que avancemos além! Em Cristo, há sempre algo mais que possa ser feito.

Para concluir, em Hebreus 11:32,40; vemos uma verdadeira galeria dos chamados heróis da fé – pessoas que um dia ousaram ter fé e acreditaram que poderiam, em Cristo, contornar toda e qualquer adversidade. Precisamos, assim como esses homens da Bíblia, nos lembrar que é na nossa fraqueza que somos fortalecidos. Não podemos desistir, baixar a guarda e pararmos de crer; Deus tem algo bom para cada um de nós! Deus nos abençoe.


(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 03/01/2009, sábado, pelo Pr.Alex Fonseca, na Igreja do Nazareno Central de Campinas, anotado por Lucas Tognolo)

(Alex B Fonseca formou-se pelo Seminário Teológico Nazareno - 1994, estudou em Point Loma Nazarene University - 96-99, especializando-se nas seguintes áreas: Língua Inglesa, Ministério com Adolescentes e Jovens, e Mestrado em Ministérios; atuou na Igreja do Nazareno de San Jacinto - CA – USA, como pastor voluntário junto ao Ministério de Juniores e Louvor; e como missionário responsável no Louvor, Evangelismo, Jovens e Missões, na Igreja do Nazareno em Tehachapi - CA – USA, 1998-2001, faz parte da Equipe Pastoral da Igreja do Nazareno Central em Campinas desde 2001)