quarta-feira, 21 de maio de 2008

O Ministério de Jesus


Texto Base: Mateus 4: 23-25

Lemos no texto de Mateus três características do Ministério de Jesus que devemos seguir, são elas:

1. Jesus ensinava – aos discípulos;

2. Jesus pregava;

3. Jesus curava.

Essas três características devem ser uma referência de como deve ser nossa vida. A primeira das características é que Jesus ensinava, somos chamados para ensinar (Mt 28:19). O discipulado é o ato de compartilhar com o próximo as verdades que conhecemos, os princípios do Reino e as doutrinas da Bíblia. A mensagem de Jesus quase sempre é de arrependimento (“Arrependei-vos porque o Reino está próximo”. Assim devemos fazer também, conscientizar as pessoas que ainda estão longe do caminho do Senhor que ela é pecadora e carece de um arrependimento.

A segunda característica é que Jesus pregava. A pregação de Jesus era confrontadora, Ele confrontava os fariseus, os doutores da lei e o povo. É como uma espada de dois gumes que nos traz desconforto mediante nosso estado de pecador. A palavra é como espelho, e de glória em glória, vemos a transformação de Deus em nós (ref. I Coríntios). Jesus ao mesmo tempo em que ensinava, admoestava, e como disse a Pedro certa vez: “Afasta-te de mim, Satanás.”, Ele quer também nos advertir de nossos erros.

A terceira característica é que Jesus curava. E, como lemos no verso vinte e quatro, a fama de Jesus percorria toda a região para que Ele pudesse curar. Aqueles que estão a procura de um milagre vão atrás de coisas e/ou pessoas que lhe possam ser úteis. Jesus a todos o curava (verso 25).

Mas que Jesus é esse que tem o poder de vir e intervir em todas as nossas necessidades? Ele não olha nossas posses, cor e jeito de ser, mas Ele nos olha com compaixão. Ele se identifica com a nossa dor, sofre conosco e tem o poder de mudar nossa história. Por onde Ele passava coisas sobrenaturais aconteciam, enfermos eram curados e pessoas transformadas.

Há algumas coisas naturais que acontecem quando Jesus passa por nossas vidas:

1) Jesus tinha consigo o poder de ser o Deus da PAZ. Por onde Ele passava saudava a todos com a Paz. Ele trazia a paz por onde Ele passava: paz que excede todo o entendimento. (II Te 3:16)

2)Jesus também trazia PODER às pessoas e aos lugares onde passava. Há poder no nome de Jesus nos céus e sobre a terra. Poder para transformar situações, curar enfermos e expulsar demônios. (Jo 1). “A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder a fim de serem chamados filhos de Deus.”

3) Jesus trazia também ESPERANÇA, Ele é o Deus da ESPERANÇA (Colossenses 1:20). Esperança para com aqueles que não têm mais saídas e estão desesperados.

“Eu sei que o meu Redentor vive e no final se levantará do pó.” Mateus 10:25

Se o futuro está nas mãos de Deus, não podemos desistir. Porque Ele é o Deus da Esperança.

(Esboço do sermão pregado no dia 09/03/2008, domingo manhã, ministrado pelo Pr. Flávio Valvassoura, na Igreja do Nazareno Central de Campinas, anotado por Lucas Tognolo.)

(Fávio R. Valvassoura é pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, formado pelo Seminário Teológico Nazareno e também pelo Beeson Institute do Asbury Theological Seminary, EUA, com especialização em Pregação Bíblica e Liderança Eclesiástica, é coordenador nacional e sul-americano de treinamento e capacitação de líderes. Membro da Junta Geral. Doutor em Ministério pelo Asbury Theological Seminary, Wilmore, KY,EUA. Desenvolveu ministério como pastor na Igreja do Nazareno Ebenézer – Campinas, SP e na Igreja do Nazareno Brasileira – Nova York, EUA. Atua na equipe pastoral da Igreja do Nazareno Central desde 2005.)

O Itinerário de Uma Igreja Vitoriosa


Texto Base: Lucas 9: 28-37

O que Deus requer de nós?

A primeira lição que precisamos aprender para saber o que Deus quer de nós é “subir ao monte” para estar com Deus e assim, ao descer, estarmos aptos para:

1. Comunicar a mensagem da graça;

2. Inspirar a mensagem da graça;

3. Refletir a Glória de Deus.

E estas coisas são feitas mediantes a prática da oração, onde estaremos ouvindo a voz de Deus e saber o que Ele tem para nossas vidas, a mensagem que Ele quer seja pregada; mediante a prática do jejum, onde estaremos nos esvaziando do homem carnal e nos enchendo do homem espiritual; e mediante a busca da plena santificação, que é alcançada somente na pessoa de Jesus Cristo.

A segunda lição que precisamos aprender é “permanecer no monte”, ter sede de Deus.

Hoje em dia, vivemos a síndrome da pressa, dos “fast-foods”, nossa correria cotidiana nos impede de vivermos uma vida mais íntima com Deus. Ao subir ao monte, precisamos também, permanecer no monte e assim, aprender a abrir mão da nossa pressa e ter mais sede de Deus. Permanecer no monte significa não perder Jesus de vista para se ver a excelência de Deus.

Por último, precisamos aprender a descer do monte, que significa confessar que não somos nada, o que nos faz lembrar uma canção cantada nos cultos infantis da igreja: "sem Cristo no barco tudo vai muito mal e vem o temporal". Sem a unção do Espírito Santo nas nossas vidas nada podemos fazer e precisamos ter Cristo no nosso barco para assim, para levarmos a mensagem de paz, consolo e esperança a toda criatura.

O que espera a igreja através dos montes?

Multidões esperam ansiosas para ouvir a palavra da Verdade. Precisamos alcançar multidões e falar da glória que vimos no monte. Em Lucas 4:18, lemos que a igreja no pé do monte sai às ruas para anunciar o ano aceitável do Senhor.

Se não subirmos ao monte para ouvir o que Deus quer de nós, viramos apenas uma organização religiosa.


(Esboço do sermão do dia 16/12/2007, domingo noite, ministrado pelo Pr.Estevam, Fernandes, na Igreja Batista Central de Campinas, anotado por Lucas Tognolo.)

(Estevam Fernandes de Oliveira, Pastor da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, PB, é Psicólogo Clínico e Terapeuta Familiar, conferencista nas áreas de Família e Liderança; mestre e doutorando em Ciências Sociais.)