domingo, 18 de maio de 2008

Jesus está voltando!


Textos Bases: II Pedro 3: 1-13 ; Lucas 21; 29-36

Hoje em dia o tema “Família” vem sendo tratado de muitas formas. Conforme vimos a algumas semanas atrás no “Globo Repórter”, a família do futuro é encarada com sendo um mosaico, um composto de diversos fragmentos; também foi tratada com sendo um casal de homossexuais com filho adotado. Nos tempos modernos, tem-se perdido a real definição de “Família”. Conforme lemos em Mateus 24:12, “E por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos se esfriará, aquele que perseverá ato o fim será salvo.”


A carta de Pedro foi escrita no fim do 1º. Século, período no qual se pregava com iminência a Volta do Senhor Jesus. Era parte da cultura da Igreja Primitiva pregar o desapego à coisas materiais, conforme lemos no livro de Atos. Embora, temos proporcionalmente, muitos cristãos hoje; perdeu-se essa preocupação com a Volta de Cristo como era na Igreja Primitiva. Antes, os cristãos saudavam-se uns aos outros com um “Maranata”, que significa: Ora vem Senhor Jesus. Hoje, por comodismo, parou-se de pregar sobre a Volta de Cristo para se pregar mais sobre a teologia do “Aqui e Agora”, na qual busca-se mais bênçãos e prosperidade.


Atualmente, podemos observar alguns pontos que nos fazem-nos pensar sobre a Volta de Cristo:

1º. Ponto) “A natureza geme esperando a manifestação de DEUS!”

Nunca houve um momento na historia do planeta Terra em que os elementos abrasados estão sendo desfeitos.

2º. Ponto) Iniquidade

Quando DEUS olhou para a geração de Noé e se arrependeu de ter criado o homem Ele destruiu a Terra com água. O que será que esse mesmo DEUS pensa de nossa geração ao ver tamanha iniqüidade nos nossos dias?

DEUS viu Sodoma e Gomorra e os destruiu com fogo, tamanha era a homossexualidade e imoralidade que circulava entre o povo. O que será que esse mesmo DEUS faria conosco hoje?

A Bíblia nos ensina que quando estas coisas começassem a acontecer estaria na hora de começarmos a preparar nossa bagagem porque o Rei está voltando.


Aqui falaremos sobre algumas coisas das quais devemos nos preocupar acerca da Volta de Cristo:

1ª. Coisa) ACAUTELAI-VOS

Diante das circunstâncias ao nosso redor, devemos tomar CUIDADO:

a. CUIDADO com nós mesmos: o que lemos determina o que pensamos, o que pensamos determina o que fazemos e o que fazemos determina o que somos. O que será estamos lendo? Devemos tomar CUIDADO com nós mesmos.

b.CUIDADO com o que nós vemos: nossos olhos são a luz do que vemos. O que nós andamos vendo na televisão? O que nós pagamos para ver ao irmos a vídeo-locadoras? O que entra pelos nosso olhos vai para o nosso cérebro e forma os nossos hábitos. Cuidado com o que vemos.

c.CUIDADO para onde estamos indo. Que lugares nós estamos freqüentando? As Escrituras nos ensinam que todas as coisas nos são lícitas, mas nem todas nos convêm. Cuidado com o tipo de ambiente onde pisamos e com o que tipo de pessoas que andamos.

Como Cristãos devemos ser cada vez mais seletivos, crendo somente no que diz as Escrituras, e assim, continuar crescendo na graça e no conhecimento do Senhor Jesus Cristo. Os dias são maus, os gigantes são muitos, mas aquele que está de pé CUIDE-SE para que não caia. Nós não somos deste mundo, somos peregrinos e forasteiros; nosso nome deve estar escrito no Livro da Vida!

2ª. Coisa) VIGIAR E ORAR

Devemos começar a vigiar a nós mesmos. Precisamos nos resguardar desse mundo. Quanto tempo nós temos gastado por dia com as coisas de Deus? Talvez muito. Mas quanto tempo nós temos gastado por dia com Deus?

Deus não está preocupado com a OBRA, mas sim, com o OBREIRO. Temos que nos guardar para mantermos nossa força, nossa fé. Precisamos vigiar e orar para não cairmos.

3ª. Coisa) PREOCUPAÇÃO COM AS COISAS DESTE MUNDO

Como lemos no verso 34 do texto de Lucas 21 que não devemos ficar preocupados com as coisas deste mundo. No verso 38, Lucas diz vigiai a TODO tempo, orando para que possamos escapar (nos arrebatar) de TODAS as coisas que irão nos suceder para estarmos em PÉ diante do Filho do Homem.

Estar em pé é um ato de prontidão, não se envolver com os negócios deste mundo, aguardando a Vinda do Filho do Homem.

(Esboço do sermão pregado dia 11/05/2008, domingo pela noite, na Igreja do Nazareno Central de Campinas pelo Pr. Aguiar, anotado por Lucas Tognolo)


(L. Aguiar Valvassoura, Pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, SP, é preletor e conferencista em vários congressos e seminários nacionais e internacionais, bacharel em teologia pela Faculdade Teológica Nazarena de Campinas – Brasil, doutor Honoris Causa pela Universidade Nazarena de Point Loma – EUA, é criador do Colégio Jaime Kratz e da Associação Nazarena Assistencial que atende hoje cerca de 310 crianças e fundador do Ministério Mãos Estendidas)

Remando em meio às tempestades


Texto Base: Marcos 6: 45-52

As tempestades que enfrentamos são assim: Começamos com um belo dia ensolarado e de repente algumas nuvens densas começam a se formar prestar a cair uma grande tempestade. Sejam essas “densas nuvens” nosso casamento, nossa família, emprego, amigos, vida acadêmica dentre tantas “densas nuvens” que de repente podem vir a tona em nossas vidas. Mas é interessante notar como Cristo prova a nossa fé. Primeiro, Ele se encontra no mesmo barco conosco e depois Ele nos compele.

Às vezes na nossa caminhada da fé, Deus permite que passemos por tempestades para sentirmos algo maior da parte dEle, mesmo sem a presença dEle no nosso barco. Algumas batalhas da nossa vida precisamos enfrentar pela fé, lembrando-nos que se com Cristo já enfrentamos diversas tempestades, podemos enfrentar quaisquer outras também que surgirem.

No verso quarenta e sete, lemos que fora AO ANOITECER que tudo começou a piorar. Os discípulos começaram a enfrentar o desconhecido, remavam com dificuldade. No meio do escuro e do desconhecido não sabemos o que vem contra nós. É assim também nas nossas vidas: De repente, algumas nuvens densas se formam e as ondas do mar bravio começam a bater – o esfriamento de um amor, brigas familiares, crises diversas.

Lemos na passagem de Marcos que o barco já estava no MEIO do mar quando a tarde começou a trazer a noite e as ondas começaram a bater mais forte; no texto, os discípulos se esqueceram que fora Jesus quem os havia compelido para aquele barco. Muitas vezes quando estamos no MEIO do mar da vida, sejam esse mar nossa empresa, nossos sonhos e projetos, nossas faculdades; esquecemos-nos do quanto Deus já fez por nós. Como diria o velho hino: “Conta as bênçãos, conta-as de uma vez, e verás surpreso o quanto Deus já fez”. A palavra de Deus não muda e quando Ele nos compele para um barco é porque Ele tem um propósito para nós.

No verso quarenta e oito, lemos que ELE VIU que os discípulos passavam por uma tempestade. Deus vê nossas dificuldades, mas Ele tem um propósito com elas para nós. As tempestades da vida servem para amadurecer nossa fé e vermos que Deus tem cuidado de nós. Mas uma coisa me chama a atenção nesse texto: “Quando a tempestade veio, os discípulos continuavam remando mesmo em meio a dificuldades, e assim devemos nós também proceder. Devemos continuar remando, pois Jesus está vindo ao nosso encontro.” Não há porque desistir do seu casamento, trabalho, faculdade, sonhos, pois Cristo está vindo ao seu encontro. Ele VÊ a nossa dificuldade assim como também VÊ o nosso ESFORÇO. Cristo não ajuda preguiçoso! Precisamos remar para vencer as dificuldades que enfrentamos.


Como é bom saber que enquanto remamos com dificuldade, Cristo intercede por nós (verso 46: Ele estava em um monte intercedendo por seus discípulos). Jesus sabe o nosso limite, Ele não nos permite ir além do que agüentamos, apenas quer provar nossa fé. Quando tudo ultrapassar nosso limite humano é que Ele vem ao nosso encontro. Se não desanimarmos de repente, no meio da noite (era alta madrugada quando Ele foi ao encontro dos discípulos) Jesus vem ao nosso encontro. E, conforme o verso quarenta e oito, Ele toma a nossa dianteira. Quando achamos que Jesus está atrasado, devemos descansar em paz, pois Cristo está a ponto de tomar a dianteira de nossos problemas e nos levar a um lugar seguro.

Note agora no verso quarenta e nove: Pensaram que era um FANTASMA. Às vezes estamos tão acostumados com os problemas, fracassos no trabalho e entrevistas que não dão certo que quando vemos Jesus nos atemorizamos. Sabe por quê? Porque não estamos acostumados em ver a mão de Deus agindo, falta-nos fé. Quem tem fé vive na expectativa de que o milagre pode acontecer a qualquer hora.


Mas no verso cinqüenta, Jesus diz: CORAGEM! SOU EU! Quando Jesus se aproxima de nós Ele nos pede bom ânimo. Não se assuste se você ver o sobrenatural de Deus em sua vida. Não se assuste ao ver Jesus vindo na sua direção e agindo na sua vida, pois Ele nos pede para ficarmos firme, termos bom ânimo. Pois, como está escrito no verso cinqüenta e um, CRISTO SUBIU NO BARCO! Jesus sobe no nosso barco, seja o nosso barco o nosso trabalho, casamento, vida acadêmica ou qualquer outra situação da nossa vida; e o VENTO SE ACALMA.

É assim que vai acontecer nas nossas vidas: No momento em que Jesus entrar no nosso barco, o vento vai cessar; e assim como os discípulos, ficaremos também atônitos com o que Deus vai fazer em nossas vidas. Amém!


(Esboço do sermão pregado dia 29/04/2008, terça-feira, na Igreja do Nazareno Central de Campinas, ministrado pelo Pr. Flávio Valvassoura, anotado por Lucas Tognolo)

(Fávio R. Valvassoura é pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, formado pelo Seminário Teológico Nazareno e também pelo Beeson Institute do Asbury Theological Seminary, EUA, com especialização em Pregação Bíblica e Liderança Eclesiástica, é coordenador nacional e sul-americano de treinamento e capacitação de líderes. Membro da Junta Geral. Doutor em Ministério pelo Asbury Theological Seminary, Wilmore, KY,EUA. Desenvolveu ministério como pastor na Igreja do Nazareno Ebenézer – Campinas, SP e na Igreja do Nazareno Brasileira – Nova York, EUA. Atua na equipe pastoral da Igreja do Nazareno Central desde 2005.)

EU TENHO COMUNHÃO COM OS MEUS IRMÃOS


"E todos continuavam firmes no ensino dos apóstolos, viviam em AMIZADE uns com os outros e se reuniam para as refeições e as orações" (Atos 2:47).

Olá amigos internautas de todo o país. Graça e Paz da parte do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Quando estive pensando em um tema pra escrever no blog, a primeira coisa que me veio a mente foi sobre relacionamentos. Em um mundo onde cada vez mais se vê relacionamentos quebrados e manchados por marcas destrutivas, o que será que Deus tem para nos dizer?

Uma evidência daqueles que buscam uma vida cheia do Espírito Santo é você poder dizer: "Eu tenho comunhão com TODOS os meus irmãos". Afinidade é outra coisa bem diferente. O Espírito Santo une as pessoas, não importa a cor, a cultura, o tecido do seu vestido. Se eu não tiver prazer em rever os irmãos, a cada domingo, há alguma coisa errada com a minha vida. Com Deus nós temos comunhão todos os dias, mas com os irmãos é quando estamos na Igreja. O meu ponto em comum com o irmão é Jesus Cristo. Aleluia!


Quando estamos cheio do Espírito Santo temos um ponto de convergência e não de divergência. Não se divide por causa de Jesus. "Eu, quando levantado do alto da terra, atrairei todos para mim mesmo" (João 12:32). Isso se chama vida no Espírito.


Que possamos estar pedindo a DEUS: "Senhor, que no dia-a-dia da minha vida eu possa ser instrumento de comunhão com todos aqueles que tens criado. Em nome de Jesus, amém!"

DEUS abencoe a todos!!!