sexta-feira, 15 de maio de 2009

Esperando contra toda Esperança


Texto Base: Romanos 4: 13,25

Nos dias modernos temos encarado um tempo de crise por todos os segmentos da sociedade – família, relacionamentos, economia, profissão. É difícil encarar lutas diárias, principalmente, ao saber que o amanhã também promete mais lutas. Todos nós temos lutas e há dias que parecem que as vinte e quatro horas são eternas.

O texto lido como referência nos ajuda muito ao mencionar uma ferramenta disponível a todos nós; uma ferramenta que não depende das circunstâncias que tivemos ou não, mas unicamente do interesse de Deus nas nossas vidas. Não é pela Lei que somos candidatos às promessas de Deus, mas pela Justiça da Fé – é ela que nos ajuda a enfrentar situações que não conseguiríamos por conta própria.

O que faz a diferença na vida de uma pessoa é o que ela crê; é a atitude dela em como se achegar diante de Deus, pela graça que lhe foi concedida. Abraão não foi abençoado pela Lei, mas pela Fé! Ele foi um homem disposto a crer naquilo que Deus tinha proposto a fazer por ele, e nisso, a graça de Deus se fez manifesta na vida dele. Deus tem todo o poder de fazer algo extraordinário acontecer em nossas vidas, se tão somente, crermos. Tudo o que crermos na Palavra, com o nosso coração, estará disponível para nossas vidas, através de Jesus Cristo!

A promessa de Deus para nossas vidas vai além do que possamos imaginar; muito mais que nossos corações possam sentir - é algo indescritível. Abraão creu que Deus podia chamar à existência as coisas que não existem, afinal Deus é o Criador – tudo se formou pelas Suas mãos; a terra era sem forma e vazia, mas o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas e com uma simples palavra, tudo Ele chamou a existência. O mesmo Deus do Gênesis também opera nos dias de hoje e pode com uma simples palavra chamar para nossas vidas aquilo que nós precisamos: paz, amor, harmonia, saúde – O Evangelho de Jesus Cristo traz esperança ao coração do homem.

Abraão esperou contra toda esperança; esperança que às vezes traz confusão para a nossa vida, porque o tempo passa – os anos se vão – e não vemos nada acontecer. Se soubermos esperar em Deus, crendo, mesmo que contra toda esperança, veremos coisas maiores e melhores acontecer para nossas vidas – No caso de Abraão, ele teve uma descendência maior que as estrelas do céu – isso porque Deus é Deus!

A espera, muitas vezes, tem o poder de nos enfraquecer. Assim como Abraão, precisamos lembrar-nos do que Deus nos falou e trazer à nossa memória somente aquilo que nos dá esperança, ânimo e expectativa. As situações à nossa volta passam, mas a Palavra de Deus não pode passar – afinal, Deus não é homem para que minta, nem filho de homem para que não possa cumprir aquilo que tem separado para aqueles que O amam. Que possamos hoje, aprender a olhar para o amor que Deus tem por nós e não para as circunstâncias que nos rodeiam, como diz uma música: “Não olho as circunstâncias – não, não, não; olho o Seu Amor, Seu grande Amor! Não me guio por vistas, alegre estou.” Deus é fiel e cumprirá tudo o que Ele sonhou para nossas vidas.

Pela fé, Abraão se fortaleceu. Devemos continuar nossa caminhada na certeza de que no tempo certo, a vitória chegará. Podemos até nos sentir fracos, mas não podemos desistir e duvidar do que Deus é capaz de fazer. Deus pode todas as coisas e no final, Ele nos levantará do pó. Não importa o que outros possam dizer, Deus hoje nos diz algo – Ele não se esquece de você e de mim e se importa com nossas vidas – fiquemos firmes no Senhor, Nele há esperança. Que Deus nos abençoe.

(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 10/05/2009, domingo à noite, na “Comunidade da Esperança” – Campus II da Igreja do Nazareno Central de Campinas - pelo Pr. Flávio Valvassoura, anotado por Lucas Tognolo)

(Fávio R. Valvassoura é pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, formado pelo Seminário Teológico Nazareno e também pelo Beeson Institute do Asbury Theological Seminary, EUA, com especialização em Pregação Bíblica e Liderança Eclesiástica, é coordenador nacional e sul-americano de treinamento e capacitação de líderes. Membro da Junta Geral. Doutor em Ministério pelo Asbury Theological Seminary, Wilmore, KY,EUA. Desenvolveu ministério como pastor na Igreja do Nazareno Ebenézer – Campinas, SP e na Igreja do Nazareno Brasileira – Nova York, EUA. Atua na equipe pastoral da Igreja do Nazareno Central desde 2005.)

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Cavando Poços


“(...) e os servos de Isaque abriram ali um poço”

Gênesis 26:25b

Texto Base: Gênesis 26:1,25

Logo no primeiro versículo do texto podemos perceber que o povo de Deus vivenciava um momento de grande crise, há relatos de que era o tempo da segunda maior crise econômica daquela época – Grande Fome sobre toda a terra. E no meio de tudo isso, Isaque, filho de Abraão, teve uma experiência poderosa com Deus, conforme lemos em Gênesis 26:2 – “Aparece-lhe o Senhor e disse (...)”. Em meio a crise vivida, Deus se manifestara na vida de Isaque!

No mundo encontramos dois tipos de pessoas; as que acreditam nos sonhos e as que estão sempre na espera de que algo errado possa acontecer. Há pessoas que andam a nossa volta tentando nos roubar a alegria, assim como os filisteus fizeram com Isaque, tentam transformar nossos poços em covas. Poços simbolizam um lugar onde sai água, e covas, lugares que representam morte.

Ao mesmo tempo em que lemos em Gêneses 26:14 – “possuía ovelhas e bois e grande número de servos, de maneira que os filisteus lhe tinham inveja.” – sabemos que essas pessoas que querem “entulhar nossos poços” são condenadas à destruição. Deus é o grande sonhador do Mundo e conseguiu, através de Jesus, Seu maior sonho para a humanidade lá na cruz. O mundo é dos sonhadores! Não podemos parar de sonhar, jamais. A crise pode ser o nosso maior passaporte para um encontro com Deus; Ele quer se revelar a nós, assim como fez a Isaque.

Extraindo cinco coisas importantíssimas para nossas vidas através desse texto:

1ª. Coisa – Decidir quem queremos seguir.

A quem iremos seguir? Às crises ou a Deus; ao problema ou a solução? Não existe vitória sem riscos! Precisamos, hoje, decidir dar passos de fé em direção à vontade de Deus para nossas vidas. No texto, Gênesis 26:2 – “Apareceu-lhe o Senhor e disse: NÃO desças ao Egito. FICA na terra que EU te disser.” – É melhor estarmos no “deserto”com a presença de Deus, nosso Pai; do que em um “oásis” sem a presença Dele. Pelo poder do nosso Senhor, somos livres para decidirmos a quem seguir.

2ª. Coisa – Decidir em quem nós vamos acreditar.

Há pessoas que preferem acreditar em crises passageiras ou até mesmo, em mentiras proferidas contra elas. Não podemos nos esquecer que em meio a quaisquer crises, Deus tem sempre uma promessa para cada um de nós e cuida das nossas vidas. Precisamos acreditar em Deus, na Sua soberania e provisão para a nossa vida. Conforme lemos em Gênesis 26:12 – “Semeou Isaque naquela terra e, no mesmo ano, recolheu cento e um, porque o SENHOR o ABENÇOAVA.” – Isaque crescia na terra que o Senhor lhe mandara, mesmo em tempo de crise, pois ousou acreditar.

3ª. Coisa – (26:17) “Isaque saiu daí e se acampou no vale de Gerar, onde habitou.”

Lemos anteriormente, em Gênesis 26:15 – “E, por isso, lhe entulharam todos os poços (...)”; e em seguida, Isaque sai daquele lugar e vai para um deserto onde monta o seu acampamento. Muitas vezes, como Isaque, estamos vivenciando um momento de grande festa, porém, de repente, o que era festa se transforma em um grande vale. Meus amados, não podemos nos deixar levar pelas circunstâncias que nos cercam, pois existe um poder maior do que qualquer uma delas que é o Poder do Nome do nosso Deus. Em Eclesiastes 8:7 diz: “Porque este não sabe o que há de suceder; e, como há de ser, ninguém há que lho declare.” – O melhor de Deus para cada um de nós, mesmo vivendo em um vale, ainda está por vir para que o nome Dele seja engrandecido.

4ª. Coisa - Não podemos desistir de Cavar Outros Poços

(Gênesis 26:21,22)-“Então, CAVARAM OUTRO POÇO e também por causa desse contenderam. Por isso, recebeu o nome de Sitna. Partindo dali, CAVOU AINDA OUTRO POÇO; e, como por esse não contenderam, chamou-lhe Reobote e disse: Porque agora nos deu lugar o Senhor, e prosperaremos na terra.” Não podemos desistir de cavar nossos poços, pois quanto maior for nosso sonho; muito maior será o que Deus tem para nós!

5ª. Coisa – Deus tem lugares altos para nossas vidas

(Gênesis 26:23) “Dali SUBIU para Berseba”. Deus abençoará as nossas vidas de uma forma muito especial. Na hora do vale, sempre chegará um tempo em que Ele nos levará para lugares bem mais altos! Deus sempre tem um próximo passo para aqueles que são fiéis a Sua Palavra e O obedecem. Não paremos de lutar, pois Deus quer nos levar para lugares mais altos que possamos imaginar.

Para concluir, lemos em Gênesis 26:25 – “Então, levantou ali um altar e, tendo invocado o nome do Senhor, armou a sua tenda; e os servos de Isaque ABRIRAM ali um POÇO.” - Isaque novamente cavou poços, caracterizando uma pessoa que não desistiu em meio à dificuldades, crises, pessoas que tentarem entulhar seus sonhos; ele continuou. Assim como Isaque, se continuarmos a cavar nossos poços, sem desistir, um dia teremos nossos sonhos reconhecidos por todos a nossa volta. Deus tem para nossas vidas uma grande vitória! Que o Senhor nos abençoe.

(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 11/05/2009, segunda-feira, na Igreja do Nazareno Central, pelo Pr. Jocymar Fonseca, anotado por Lucas Tognolo)

(Jocymar B. Fonseca é formado pelo Seminário Nazareno em 1994 e faz parte da Equipe Pastoral da Igreja do Nazareno Central em Campinas desde 1995 na qual atua como pastor responsável pelo ministério de louvor e adoração e é líder do ministério Celebrai.)

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Quem é Deus?


Texto Base: Salmo 46

Este Salmo faz uma apresentação Majestosa de Deus: Ele é refúgio, fortaleza e socorro bem presente na tribulação; é utilizado por demasia nas situações de desespero e crises, mas será que são apenas essas as características de Deus: refúgio ou bom conselheiro? O que é que Deus representa para nossas vidas?

O homem, mediante a tudo o que acontece, é um ser frágil. Doenças assolam o globo constantemente, crises financeiras que derrubam nações; em face disso tudo, só podemos dizer que a espécie humana é limitadíssima! Essa fragilidade não tem vacina, tira-nos a prepotência e exalta a Majestade de Deus.

Ao lermos o Salmo 46:1 – “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações.” – notamos que o verbo está conjugado no tempo presente, indicando que Ele É, hoje, nosso refúgio, fortaleza e socorro. Este Salmo aponta Deus para um lugar que se corrermos para lá; Deus estará também!

Todas as coisas foram feitas por intermédio Dele e sem Ele, nada do que foi feito se fez. Deus é Soberano! O Soberano Deus se revela na pessoa de Jesus, como já O fez muitas vezes no Antigo Testamento, mostrando-nos que pode fazer o mar se abrir, a água sair da rocha, e tantas coisas; afinal, Ele é o “Eu Sou”. No Novo Testamento, o mesmo “Eu Sou” faz com que a tempestade se acalme e os ventos cessem e faz-nos lembrar: “Até quando estarei convosco e sofrereis?” Basta uma simples palavras do Mestre dos mestres que tudo se faz calmo, a ponto dos discípulos de Jesus se perguntarem: “Quem é este que até os ventos e o mar O obedecem”.

Deus é Onipotente; Ele tem poder sobre tudo e todos. Deus não é Deus pelo que Ele faz, mas pelo que Ele é: O Senhor dos Exércitos! Ele é o nosso refúgio em tempo presente. Louvado seja o Nome Dele. Assim como a sombra é quase imperceptível, intangível e muitas vezes, não a vemos; também é nosso Deus – na Sua sombra encontramos descanso, mesmo que muitas vezes não a vemos.

Majestoso, Soberano e Onipotente – Deus está sempre no controle! Além dessas características, Ele também nos diz que é Onipresente, sempre conosco em todas as situações que passarmos, quer sejam em tempo de bonança ou de crise. Há uma cidade na qual se encontra alegria, a cidade de nosso Deus, e essa cidade é o nosso coração contrito e arrependido – E a vontade Dele é fazer morada nele.

Assim como diz um velho hino: “Chuvas de bênçãos teremos, chuvas de bênçãos dos céus. Nações bramam, povos tremem, mas o Deus a quem servimos jamais se abala. Pode a economia não ir tão bem assim ou o “porco espirrar”, Deus continua sendo o mesmo eternamente, conhecedor de todas as coisas antes mesmo de a conhecermos. Tudo está no controle das Suas mãos! Que Deus te abençoe.


(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 03/05/2009, domingo de manhã, pelo Pr. L Aguiar Valvassoura, na Igreja do Nazareno Central de Campinas, anotado por Lucas Tognolo)

(L. Aguiar Valvassoura, Pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, SP, é preletor e conferencista em vários congressos e seminários nacionais e internacionais, bacharel em teologia pela Faculdade Teológica Nazarena de Campinas – Brasil, doutor Honoris Causa pela Universidade Nazarena de Point Loma – EUA, é criador do Colégio Jaime Kratz e da Associação Nazarena Assistencial que atende hoje cerca de 310 crianças e é fundador do Ministério Mãos Estendidas)

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Texto Base: Marcos 5:25,34


“E Ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz e fica livre do mal” Marcos 5:34

A história narrada em Marcos nos retrata algumas peculiaridades que enfrentamos; todos nós passamos por momentos difíceis, tais como, a perda de alguém, um emprego ou enfermidade.

As tragédias da vida normalmente nos pegam de surpresa, de uma forma que subitamente, aquilo que estava indo tão bem, começa a ir tão mal.

A personagem principal da história sofria de uma hemorragia há doze anos, não sabemos o porquê de tamanho sofrimento, mas podemos imaginar que era mui grande a ponto de ela procurar todas as formas possíveis para se ver curada. Assim é com a nossa vida também: quando enfrentamos uma terrível dor, tentamos todas as maneiras possíveis para de alguma forma ver o que nos atormenta ir embora.

Infelizmente, diante disso, muitas pessoas são ludibriadas e enganadas por certos tipos de “curas espirituais” que só as fazem ficarem com as forças drenadas. Na tentativa de estancar as feridas, é comum nos encontrarmos como essa mulher: Sofrendo e Sem Forças. Uma pequena hemorragia, se não tratada pode levar-nos à morte – Só há uma pessoa capaz de estancar quaisquer feridas do corpo e da alma, e essa pessoa tem o nome que está acima de todo nome: Jesus Cristo!

Conforme lemos em Marcos 5:26: “e muito padecera à mão de vários médicos, tendo despendido tudo quanto possuía, sem, contudo, nada aproveitar, antes, pelo contrário, indo a pior.” Uma pequena hemorragia, não tratada, só fazia aquela moça piorar. Se não tratarmos daquilo que nos faz sofrer, o amanhã poderá ser muito pior!

Mas que bom é saber que há esperança em meio a quaisquer “hemorragias”, crises diversas que enfrentamos. Aquela moça ouvira falar da fama de Jesus: por onde Ele passava, vidas eram curadas e transformadas! Hoje o mesmo também se aplica em nossas vidas; Jesus não apenas tem o poder para nos curar de toda mazela, como também, pode libertar-nos de toda cadeia que nos prende. Precisamos, uma vez conhecendo a fama Dele, espalhar por toda cidade daquilo que fez e faz em nós – Quando Jesus põe a Sua Poderosa mão em nossas vidas é impossível não querermos compartilhar com todos o que Ele tem feito, pois grandes são as obras das Suas mãos.

A mulher ao ouvir falar da fama de Jesus, resolveu em seu coração encarar a multidão que cercava a Cristo e por um ato de fé, tão somente, tocar-Lhe as vestes para ser curada. Jesus está disponível a todos nós, mas precisamos encarar as “multidões” que nos cercam: medo, doenças e quaisquer impossibilidades – e apenas, pela fé, crer que Jesus pode nos curar. A moça creu que o Senhor podia curá-la e foi curada! A diferença não está no ato de tocar as vestes de Jesus, mas na forma como se deu o ato: pela fé! Não precisamos fazer muito, apenas termos uma atitude de fé, crendo que em Jesus está todo o poder para nos fazer livres de todo sofrimento.

Na passagem de Marcos 5:29 lemos: “E logo se lhe estancou a hemorragia, e sentiu no corpo estar curada de seu flagelo.” Quando Deus toca em nós, sentimos que algo nos acontece, que a graça nos alcançou e, de imediato, somos curados. Louvado seja o Nome que está acima de todo nome, sob o qual um dia todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Ele (Jesus Cristo) é o Senhor!

Jesus, sendo Deus, e portanto, Onisciente, sabia quem o havia tocado nas vestes, porém, como Mestre, queria ainda ensinar à multidão mais uma coisa: Além da cura, Ele também está interessado em perdoar. Jesus olha ao redor e procura a mulher, e a mulher, cheia de temor, prostra-se aos Seus pés, contando toda a verdade. Após isso, Jesus a despede debaixo de paz, dizendo: (Marcos 5:34 “Filha, a tua fé te salvou, vai-te em paz e fica livre do mal.”) À todos quanto estão com a vida em pé de guerra, Jesus quer liberar a paz, não como um mundo a dá (uma paz armada), mas uma paz que excede todo entendimento! A hemorragia se estancou, mas o mal daquela moça foi embora depois que ela contou toda a verdade a Cristo.

Hoje, Jesus também quer estancar toda a hemorragia que nos incomoda, seja ela causada por uma doença física ou emocional, basta nós, com um ato de fé encarar as multidões e pela fé, tocar-Lhe as vestes, crendo que Dele pode sair poder para nos libertar. A nossa história pode ser mudada ao contarmos a Ele toda a verdade e então, termos paz! Que Deus te abençoe.

(Montagem feita a partir do sermão pregado dia 03/05/2009, domingo à noite, na “Comunidade da Esperança” – Campus II da Igreja do Nazareno Central de Campinas - pelo Pr. Flávio Valvassoura, anotado por Lucas Tognolo)

(Fávio R. Valvassoura é pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, formado pelo Seminário Teológico Nazareno e também pelo Beeson Institute do Asbury Theological Seminary, EUA, com especialização em Pregação Bíblica e Liderança Eclesiástica, é coordenador nacional e sul-americano de treinamento e capacitação de líderes. Membro da Junta Geral. Doutor em Ministério pelo Asbury Theological Seminary, Wilmore, KY,EUA. Desenvolveu ministério como pastor na Igreja do Nazareno Ebenézer – Campinas, SP e na Igreja do Nazareno Brasileira – Nova York, EUA. Atua na equipe pastoral da Igreja do Nazareno Central desde 2005.)