domingo, 18 de maio de 2008

Remando em meio às tempestades


Texto Base: Marcos 6: 45-52

As tempestades que enfrentamos são assim: Começamos com um belo dia ensolarado e de repente algumas nuvens densas começam a se formar prestar a cair uma grande tempestade. Sejam essas “densas nuvens” nosso casamento, nossa família, emprego, amigos, vida acadêmica dentre tantas “densas nuvens” que de repente podem vir a tona em nossas vidas. Mas é interessante notar como Cristo prova a nossa fé. Primeiro, Ele se encontra no mesmo barco conosco e depois Ele nos compele.

Às vezes na nossa caminhada da fé, Deus permite que passemos por tempestades para sentirmos algo maior da parte dEle, mesmo sem a presença dEle no nosso barco. Algumas batalhas da nossa vida precisamos enfrentar pela fé, lembrando-nos que se com Cristo já enfrentamos diversas tempestades, podemos enfrentar quaisquer outras também que surgirem.

No verso quarenta e sete, lemos que fora AO ANOITECER que tudo começou a piorar. Os discípulos começaram a enfrentar o desconhecido, remavam com dificuldade. No meio do escuro e do desconhecido não sabemos o que vem contra nós. É assim também nas nossas vidas: De repente, algumas nuvens densas se formam e as ondas do mar bravio começam a bater – o esfriamento de um amor, brigas familiares, crises diversas.

Lemos na passagem de Marcos que o barco já estava no MEIO do mar quando a tarde começou a trazer a noite e as ondas começaram a bater mais forte; no texto, os discípulos se esqueceram que fora Jesus quem os havia compelido para aquele barco. Muitas vezes quando estamos no MEIO do mar da vida, sejam esse mar nossa empresa, nossos sonhos e projetos, nossas faculdades; esquecemos-nos do quanto Deus já fez por nós. Como diria o velho hino: “Conta as bênçãos, conta-as de uma vez, e verás surpreso o quanto Deus já fez”. A palavra de Deus não muda e quando Ele nos compele para um barco é porque Ele tem um propósito para nós.

No verso quarenta e oito, lemos que ELE VIU que os discípulos passavam por uma tempestade. Deus vê nossas dificuldades, mas Ele tem um propósito com elas para nós. As tempestades da vida servem para amadurecer nossa fé e vermos que Deus tem cuidado de nós. Mas uma coisa me chama a atenção nesse texto: “Quando a tempestade veio, os discípulos continuavam remando mesmo em meio a dificuldades, e assim devemos nós também proceder. Devemos continuar remando, pois Jesus está vindo ao nosso encontro.” Não há porque desistir do seu casamento, trabalho, faculdade, sonhos, pois Cristo está vindo ao seu encontro. Ele VÊ a nossa dificuldade assim como também VÊ o nosso ESFORÇO. Cristo não ajuda preguiçoso! Precisamos remar para vencer as dificuldades que enfrentamos.


Como é bom saber que enquanto remamos com dificuldade, Cristo intercede por nós (verso 46: Ele estava em um monte intercedendo por seus discípulos). Jesus sabe o nosso limite, Ele não nos permite ir além do que agüentamos, apenas quer provar nossa fé. Quando tudo ultrapassar nosso limite humano é que Ele vem ao nosso encontro. Se não desanimarmos de repente, no meio da noite (era alta madrugada quando Ele foi ao encontro dos discípulos) Jesus vem ao nosso encontro. E, conforme o verso quarenta e oito, Ele toma a nossa dianteira. Quando achamos que Jesus está atrasado, devemos descansar em paz, pois Cristo está a ponto de tomar a dianteira de nossos problemas e nos levar a um lugar seguro.

Note agora no verso quarenta e nove: Pensaram que era um FANTASMA. Às vezes estamos tão acostumados com os problemas, fracassos no trabalho e entrevistas que não dão certo que quando vemos Jesus nos atemorizamos. Sabe por quê? Porque não estamos acostumados em ver a mão de Deus agindo, falta-nos fé. Quem tem fé vive na expectativa de que o milagre pode acontecer a qualquer hora.


Mas no verso cinqüenta, Jesus diz: CORAGEM! SOU EU! Quando Jesus se aproxima de nós Ele nos pede bom ânimo. Não se assuste se você ver o sobrenatural de Deus em sua vida. Não se assuste ao ver Jesus vindo na sua direção e agindo na sua vida, pois Ele nos pede para ficarmos firme, termos bom ânimo. Pois, como está escrito no verso cinqüenta e um, CRISTO SUBIU NO BARCO! Jesus sobe no nosso barco, seja o nosso barco o nosso trabalho, casamento, vida acadêmica ou qualquer outra situação da nossa vida; e o VENTO SE ACALMA.

É assim que vai acontecer nas nossas vidas: No momento em que Jesus entrar no nosso barco, o vento vai cessar; e assim como os discípulos, ficaremos também atônitos com o que Deus vai fazer em nossas vidas. Amém!


(Esboço do sermão pregado dia 29/04/2008, terça-feira, na Igreja do Nazareno Central de Campinas, ministrado pelo Pr. Flávio Valvassoura, anotado por Lucas Tognolo)

(Fávio R. Valvassoura é pastor da Igreja do Nazareno Central de Campinas, formado pelo Seminário Teológico Nazareno e também pelo Beeson Institute do Asbury Theological Seminary, EUA, com especialização em Pregação Bíblica e Liderança Eclesiástica, é coordenador nacional e sul-americano de treinamento e capacitação de líderes. Membro da Junta Geral. Doutor em Ministério pelo Asbury Theological Seminary, Wilmore, KY,EUA. Desenvolveu ministério como pastor na Igreja do Nazareno Ebenézer – Campinas, SP e na Igreja do Nazareno Brasileira – Nova York, EUA. Atua na equipe pastoral da Igreja do Nazareno Central desde 2005.)